F1: Horner considera opinião de Vasseur sobre punições à Red Bull "muito prematura"

Chefe da Red Bull continua acreditando que equipe mais cedo ou mais tarde sofrerá efeitos da penalidade imposta pelo Regulamento Financeiro

Christian Horner, Team Principal, Red Bull Racing, Frederic Vasseur, Team Principal and General Manager, Scuderia Ferrari, in a Press Conference

Christian Horner não cede: apesar de três GPs dominados por sua equipe de Fórmula 1 no início da temporada, a Red Bull acabará sofrendo as consequências da punição imposta pela FIA por descumprimento do Regulamento Financeiro em 2021.

Leia também:

O britânico continua a repetir que os efeitos da redução do túnel de vento e do tempo de CFD em Milton Keynes só se farão sentir a médio ou longo prazo, e repetiu isso ao responder às recentes observações de Frederic Vasseur, chefe da Ferrari.

Na semana passada, Vasseur sentiu, embora reconhecendo o bom trabalho da Red Bull, que a punição foi algo "muito leve". Uma declaração que Christian Horner respeita, mas que ainda acha que será desmentida no futuro.

“Todo mundo tem uma opinião e acho que todo mundo é livre para opinar”, insistiu o chefe da Red Bull ao microfone da Sky Sports. "A equipe fez um ótimo trabalho durante o inverno com o tempo limitado no túnel de vento que tivemos para desenvolver este carro, e isso obviamente terá um impacto no final do ano, bem como no próximo ano. Então, em três GPs, acho que ainda é muito prematuro julgar esta temporada, ainda há muitas corridas pela frente”.

"Há muitas coisas que podem mudar. Ouvimos sobre grandes mudanças quando voltamos para a Europa, seja Ferrari ou Mercedes. Portanto, não tomamos nada como garantido, focamos em nós mesmos, em fazer o melhor trabalho possível com aquilo que temos. Fazemos o melhor que podemos com o que temos, e sabemos que é uma penalização grande, que aceitamos e que implementamos da melhor forma possível."

A equipe técnica em Milton Keynes é o orgulho de Christian Horner, já que o RB19 continua vencendo, mesmo com a saída de algumas pessoas-chave, como Dan Fallows, hoje na Aston Martin.

“Tivemos uma taxa de rotatividade de pessoal muito baixa em nossa história na Red Bull, é ótimo ter dado a esses talentos a chance de se desenvolver e alcançar grandes feitos”, sublinhou Horner. "Quando eles partem para outras equipes, fico feliz em ver Dan fazendo um bom trabalho, mas sua saída deu uma chance a outros engenheiros e é tudo uma questão de evolução. A equipe que temos hoje é ainda mais forte do que que tínhamos dois anos atrás", concluiu.

Galvão Bueno tem projeto para voltar a narrar F1; saiba mais no vídeo:

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Kvyat revela que Ferrari o procurou para substituir Raikkonen em 2016
Próximo artigo F1: Sainz aparece como preferência da Audi para 2026 de acordo com imprensa suíça

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil