F1 - Horner defende que ambição da Red Bull é maior que seus pilotos: "Não somos Verstappen Racing ou Pérez Racing"

Apesar de não mencionar diretamente, fala do chefe da Red Bull é resposta às críticas de Jos Verstappen pelo não-favorecimento de seu filho em Mônaco

F1 - Horner defende que ambição da Red Bull é maior que seus pilotos: "Não somos Verstappen Racing ou Pérez Racing"
Carregar reprodutor de áudio

Com Sergio Pérez em boa fase, muitos se questionam se a Red Bull permitirá ao mexicano disputar contra Max Verstappen pelo título da Fórmula 1. Mas Christian Horner afirmou que a ambição da equipe é maior do que a de seus pilotos, brincando que o time austríaco se chama Red Bull Racing, e não "Max Verstappen Racing" ou "Sergio Pérez Racing".

Agora, o mexicano está a apenas 15 pontos de Verstappen no Mundial, e a Red Bull começa a ver novamente uma situação que não passava desde o começo da década passada: ter seus dois pilotos vivos na luta pelo título. 

Leia também:

Inevitavelmente, com a Red Bull em situação melhor que a da Ferrari, surgem dúvidas sobre a rivalidade interna que pode surgir em vista de uma briga pelo título mundial.

A Red Bull disse recentemente não ter preferência sobre um de seus pilotos saírem com o título de 2022, apesar da dupla ordem de equipe para favorecer Verstappen no GP da Espanha. Em entrevista à Bloomberg, Horner lembrou a importância do jogo de equipe.

"É um grande desafio [gerenciar dois pilotos] mas, no fim das contas, eles fazem parte de uma equipe. Não é 'Sergio Pérez Racing' ou 'Max Verstappen Racing', é Red Bull Racing".

"Eles trabalham para a equipe, eles têm uma responsabilidade, eles guiam um carro que cerca de 800 funcionários projetaram e produziram para eles. Eles são um elo na cadeia, um elo muito importante, mas é vital que eles percebam que a ambição da equipe é maior que a deles".

Sem responder diretamente, esses comentários vêm no contexto das declarações de Jos Verstappen, pai de Max que, em um post no site oficial do filho, expressou insatisfação com a forma como a equipe administrou o GP de Mônaco em termos estratégicos.

“O terceiro lugar de Max foi decepcionante. A Red Bull conseguiu um bom resultado, mas, ao mesmo tempo, exerceu pouca influência para ajudar Max a estar à frente. Ele terminou em terceiro pelo erro da Ferrari na segunda parada do Charles Leclerc. O líder do campeonato, Max, não se viu ajudado nesse sentido pela estratégia escolhida, que foi completamente a favor do Checo. Isso foi decepcionante para mim e gostaria que fosse diferente para o líder do Mundial”.

“Perez ganhou a corrida graças à primeira parada nos boxes. A equipe pode explicar como uma aposta, mas eles tinham visto, o Gasly é um exemplo, que os intermediários eram a melhor opção no momento. Gostaria que eles tivessem optado por Max, mas é claro que não sou inteiramente objetivo. Acredito que tiraram dez pontos de Max".

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #180 – ‘Autossabotagem’ da Ferrari pode fazê-la perder título da F1 em 2022?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Band mantém fôlego na audiência de F1; compare números com 2021
Artigo anterior

Band mantém fôlego na audiência de F1; compare números com 2021

Próximo artigo

Entenda como o teto orçamentário da F1 limita desenvolvimentos especiais das equipes

Entenda como o teto orçamentário da F1 limita desenvolvimentos especiais  das equipes