F1: McLaren mantém pés no chão com Monza após ser "destruída" em Zandvoort

Equipe de Woking venceu GP da Itália, mas não teve bom desempenho na Holanda; chefe da escuderia reforça que há trabalho a ser feito

F1: McLaren mantém pés no chão com Monza após ser "destruída" em Zandvoort

A McLaren não quer que a vitória no GP da Itália faça ela diminuir o trabalho para chegar à frente do grid da Fórmula 1 regularmente. O time de Woking se tornou o primeiro a fazer uma dobradinha em 2021, com Daniel Ricciardo liderando Lando Norris em Monza.

No entanto, apesar da alegria pelo triunfo, o chefe da equipe Andreas Seidl tem certeza de quanto espaço para melhorias ele acha que a equipe precisa fazer. Segundo ele, a 'surra' que levou em comparação às escuderias de topo em Zandvoort, uma semana antes, destacou o quanto ainda necessita evoluir.

Leia também:

"O que eu respeito, olhando para Mercedes e Red Bull, é que eles têm um carro que pode lutar pela vitória todos os fins de semana", disse Seidl. Essa é a lacuna que temos como time em relação a esses caras, então não estou muito focado em uma dobradinha ou algo assim. No final, é um resultado sensacional para nós, mas veio após sermos destruídos em Zandvoort."

"É por isso que temos que continuar trabalhando duro para continuar reduzindo essa diferença em todos os tipos de circuitos.”

Para o chefe de Woking, está claro que a vitória ajudará a animar a McLaren e prova seu progresso: "Estou obviamente muito feliz com o que os dois pilotos mostraram e com Daniel dando os seus passos desde as férias de verão, voltando para onde ele quer e onde o queremos."

"E este é um acréscimo ao Lando, que está em uma forma incrível este ano. Obviamente, é esse o dinamismo que queremos e precisamos ter para lutar contra a Ferrari e seguir em frente em nossa jornada rumo à frente na Fórmula 1 novamente."

Daniel Ricciardo, McLaren celebrates with team members

Daniel Ricciardo, McLaren celebrates with team members

Photo by: McLaren

Embora tenha progredido no grid e terminado 2020 como a terceira melhor equipe, a escuderia britânica não vencia desde 2012. Apesar de rivais como AlphaTauri, Racing Point e Alpine tenham triunfado antes, Seidl disse que nunca se aborreceu com a situação.

"Não é frustrante ver outros ganhando, porque no final, se você ganhar, é porque mereceu", comentou. "O mais importante para mim é ver que melhoramos continuamente, então vamos chegar a esse ponto para vencer corridas com nossas próprias performances a cada fim de semana, independente das características da pista, pneus e condições."

"Obviamente, queremos aproveitar as oportunidades quando aparecerem, porque um momento como o GP da Itália é simplesmente inesquecível para todos. É importante comemorá-los porque não vêm com tanta frequência no momento. Temos muito trabalho pela frente, e estamos muito felizes", concluiu.

Saiba como F1 na BAND vem AMEAÇANDO GLOBO e quais GPs de MAIOR e MENOR audiência em 2021

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Caótico GP da Itália acirra ainda mais rivalidade Hamilton x Verstappen na F1

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1 - Reestruturação, troca de motor e aerodinâmica ousada: entenda as razões por trás do sucesso da McLaren em Monza
Artigo anterior

F1 - Reestruturação, troca de motor e aerodinâmica ousada: entenda as razões por trás do sucesso da McLaren em Monza

Próximo artigo

F1: AlphaTauri "nunca teve dúvidas" sobre renovação de Tsunoda

F1: AlphaTauri "nunca teve dúvidas" sobre renovação de Tsunoda
Carregar comentários