F1: O que levou à saída de Gunther Steiner da Haas?

Equipe norte-americana anunciou a saída do chefe de equipe nessa quarta-feira

Gene Haas, proprietário e fundador da Haas F1, Guenther Steiner, diretor da equipe, Haas F1

Gene Haas, proprietário e fundador da Haas F1, Guenther Steiner, diretor da equipe, Haas F1

Andy Hone / Motorsport Images

O maior anúncio da Fórmula 1 na temporada de 2024 até o momento aconteceu na tarde dessa quarta-feira. A Haas informou que Guenther Steiner não faz mais parte do time e está deixando o cargo de chefe de equipe, o qual ele ocupava desde 2016. O diretor de Engenharia, Ayao Komatsu assumirá o papel.

Leia também:

Lawrence Barretto, repórter oficial da categoria, explicou as razões por trás da saída de Steiner do time americano. Ele inicia a análise dizendo que o ítalo-americano fez muito para garantir que a equipe ainda existisse, com pandemia causada pela Covid-19 e a guerra russo-ucraniana colocando o esquadrão em uma posição difícil.

Um dos principais motivos para a saída do chefe de equipe, de acordo com Barretto, foi que a Haas teve a segunda pior temporada da sua história, terminando em último lugar no campeonato de equipes com apenas 12 pontos. A queda do oitavo para o 12º lugar significou uma perda de 20 milhões de dólares na receita (cerca de R$98 milhões na cotação atual).

Enquanto isso, o time norte-americano não pôde gastar o limite orçamentário atual de 135 milhões de dólares por ano (R$655 milhões), nem pôde empregar o orçamento de investimento extra de 20 milhões de dólares (R$98 milhões). Para usar o limite, Gene Haas - dono da equipe - teria que investir seu próprio dinheiro, o que ele não quis ou não pôde fazer.

Barretto ressalta que o empresário americano financiou recentemente o grande pacote de desenvolvimento da Haas em Austin "do próprio bolso", que, de acordo com algumas fontes, custou cerca de US$ 8 milhões (R$39 milhões), mas os resultados foram decepcionantes, com Hulkenberg voltando a uma especificação antiga que era ainda mais rápida do que a nova - e Gene Haas ficou chateado com isso. 

Outro fator importante para a separação foi a habitual reunião de 'férias' entre Steiner e Haas, na qual foi discutida a questão do investimento. Embora o chefe da equipe e o proprietário tivessem um relacionamento de longa data, com Haas dando a Steiner liberdade para administrar o dia a dia da equipe, o relacionamento entre eles se tornou tempestuoso nos últimos anos. Isso fez com que as partes não conseguissem chegar a um consenso após um difícil ano de 2023.

DRUGOVICH e BORTOLETO na mesma equipe de F1? Brasileiros falam sobre 2024 e ALÉM na ASTON e McLAREN

Podcast #264 – O que Gil de Ferran deixa para o automobilismo?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior "Bando de idiotas" e mais: os momentos icônicos de Steiner na F1
Próximo artigo F1: "Envergonhado" pela forma recente da equipe, Gene Haas fala sobre demissão de Steiner, mudanças e futuro

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil