F1: Red Bull coloca Pérez contra parede por vice; Marko estaria por um fio, diz site

Segundo GE.globo, reuniões teriam colocado piloto e dirigente na berlinda, tudo isso regado a um cabo de guerra político

Sergio Perez, Red Bull Racing, com Helmut Marko, Consultor, Red Bull Racing

Steven Tee / Motorsport Images

Os títulos mundiais de construtores e de pilotos não significaram que a harmonia imperasse na Red Bull. Segundo publicado no Ge.Globo, Sergio Pérez recebeu um ultimato para a conquista do vice-campeonato mundial de Fórmula 1 em 2023. Além disso, uma grande briga política acontece nos bastidores do time das bebidas energéticas com Helmut Marko podendo levar a pior.

Leia também:

Com grande antecipação, Red Bull e Max Verstappen conseguiram garantir seus títulos em 2023, restando apenas o vice de pilotos para ‘completar a cartela’. A segunda colocação é um desejo antigo da equipe, com Pérez não conseguindo este feito em 2022, ao perder para Charles Leclerc, mesmo com um carro dominante especialmente na segunda metade daquele campeonato.

Atualmente, o RB19 se mostra ainda mais poderoso, mas a diferença entre o mexicano e Lewis Hamilton, com seu problemático W14 é de apenas 30 pontos, podendo ser diluída totalmente em um fim de semana de corrida sprint, como prevê dois dos últimos cinco finais de semana da F1.

Com isso, nesta semana a cúpula da Red Bull deixou claro que caso o vice não chegue, Pérez estaria fora, com Daniel Ricciardo assumindo seu posto e Liam Lawson voltando a ser titular na AlphaTauri em 2024.

Ainda segundo a publicação, internamente há uma grande briga política. Christian Horner não gostaria de contar com o polêmico Helmut Marko na tomada de decisões da Red Bull. O consultor esportivo era o homem de confiança de Dietrich Mateschitz, morto em outubro do ano passado.

A pressão dos sócios tailandeses tem aumentado e Horner tenta ser a voz soberana em toda a operação da F1, incluindo a AlphaTauri. Por falar na equipe de origem italiana, Yuki Tsunoda tem o apoio de Marko, além de US$ 10 milhões pagos pela Honda por temporada. O austríaco tenta manter esse apoio para não gerar ainda mais atritos com a montadora japonesa que em breve estará com a Aston Martin.

Ainda segundo o GE, uma reunião nesta semana poderá marcar o destino do dirigente. Oliver Mintzlaff, estaria cotado para substituí-lo. Atualmente, ele responde pela gestão esportiva da marca.

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1 - Marko faz referência a 2021 e alfineta Hamilton após Catar: “Agora ele admite seus erros”
Próximo artigo F1: Entenda por que Verstappen espera uma ligação do presidente da Ferrari

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil