F1: Red Bull investiga se houve vazamento de dados para Aston Martin

Equipe austríaca diz que não tomará nenhuma ação contra a rival desde que investigação interna não aponte vazamento da propriedade intelectual

Carregar reprodutor de áudio

A polêmica em torno da "Red Bull verde" da Aston Martin na Fórmula 1 segue dando o que falar. Mas o time austríaco anunciou que, no momento, não planeja tomar nenhuma ação contra a rival, optando por focar agora em uma investigação que determinará se houve vazamento de propriedade intelectual.

A atualização significativa do AMR22, apresentada na sexta em Barcelona, deu o que falar devido às similaridades com o RB18 da Red Bull, levando ao apelido de "Red Bull verde".

Leia também:

A FIA confirmou que investigou os métodos de design da Red Bull, mas descobriu que os processos seguiam o regulamento. A Red Bull respondeu dizendo que recebeu a resposta da FIA "com interesse", mas que uma transferência de propriedade intelectual entre equipes seria "uma séria preocupação".

Christian Horner, chefe da Red Bull, sente que não é uma coincidência o fato da Aston Martin ter acabado com um design similar no mesmo momento em que vários funcionários da equipe austríaca foram para a rival.

O diretor técnico da equipe, Pierre Wache, admite que ficou surpreso ao ver tamanhas similaridades com a Aston Martin, mas disse que, após a investigação da FIA, o foco agora está em garantir que a propriedade intelectual da Red Bull não tenha vazado.

"Para nós, o principal aspecto é garantir que tudo foi feito dentro das regras", disse Wache. "A FIA checou, e parece que sim. Do nosso lado, queremos garantir que não tenha acontecido vazamento de dados. Esse é o principal ativo da equipe. Queremos garantir isso, e é isso que estamos investigando".

"No aspecto pessoal da engenharia, é satisfatório ver que uma equipe nos copiou. Isso quer dizer que nosso conceito não é ruim".

Pierre Wache, Technical Director, Red Bull Racing, and Sergio Perez, Red Bull Racing

Pierre Wache, Technical Director, Red Bull Racing, and Sergio Perez, Red Bull Racing

Photo by: Motorsport Images

Andrew Green, diretor técnico da Aston Martin, diz ter ficado "desapontado" com as acusações da Red Bull, mas Wache não acredita que sua equipe tenha vocalizado muito isso.

"Apenas queremos garantir que estamos protegidos, e dentro do teto orçamentário, o principal aspecto é a propriedade intelectual, e queremos garantir que como gastamos nosso dinheiro está seguro".

Wache acrescentou que a investigação tem como objetivo impedir que isso não aconteça com outra equipe, não apenas com a Aston Martin, e que é função da Red Bull fazer isso.

"Em termos de ação com a FIA, acho que a resposta deles é clara. Parece que o carro e o modo como foi feito parece legal, e não vamos tomar mais nenhuma ação desde que não achemos nada do nosso lado".

Vários engenheiros da Red Bull foram para a Aston Martin nos últimos meses, incluindo o ex-chefe de aerodinâmica Dan Fallows, que assumiu a direção técnica do time de Silverstone em abril. Wache aceita que é impossível "controlar a cabeça das pessoas" e ideias e metodologias podem ser carregadas entre equipes, mas que uma transferência de propriedade intelectual seria bem mais sério.

SEXTA-LIVRE: LECLERC abre trabalhos na frente na Espanha; Mercedes RESPIRA e VERSTAPPEN só o 5º

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST #178: Será o fim da linha para Vettel e Alonso na F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Problema no sistema de combustível força Ferrari a mudar chassi de Sainz
Artigo anterior

F1: Problema no sistema de combustível força Ferrari a mudar chassi de Sainz

Próximo artigo

F1 - Aston Martin nega acusações da Red Bull sobre vazamento de dados: "Muito fora da realidade"

F1 - Aston Martin nega acusações da Red Bull sobre vazamento de dados: "Muito fora da realidade"