F1: Russell diz que não há regras em batalhas contra pilotos da Mercedes

Inglês também disse que trata pilotos da Mercedes como companheiros de equipe, assim como lida com Nicholas Latifi

F1: Russell diz que não há regras em batalhas contra pilotos da Mercedes

George Russell insiste que a Mercedes não estabeleceu regras que ele deve seguir se lutar contra seus carros, após o acidente com Valtteri Bottas na corrida de Ímola da Fórmula 1.

A batalha do piloto júnior da Mercedes com o finlandês durante o GP da Emilia Romagna terminou em um grande acidente, que os comissários decidiram ser um incidente de corrida desencadeado por Russell.

Leia também:

Russell foi repetidamente questionado sobre as consequências do incidente antes do GP de Portugal deste fim de semana, depois de confrontar Bottas ainda na brita imediatamente após o acidente. O inglês deu entrevistas à mídia para oferecer sua perspectiva depois de Ímola, em seguida, pediu desculpas a Bottas em um comunicado público no dia seguinte.

Mas o piloto britânico disse que a Mercedes não lhe deu instruções específicas para seguir quando se trata de competir com seus pilotos oficiais, um evento raro em qualquer caso, dado o déficit de ritmo esperado da Williams em comparação com o time sete vezes campeão mundial.

Isso segue o chefe do automobilismo da Mercedes, Toto Wolff, dizendo que Russell tinha “muito a aprender” e que “nunca deve perder essa perspectiva global” ao competir contra um carro inscrito pelo fabricante que ajudou sua carreira.

“Acho que primeiro, se nos encontrarmos lutando contra uma Mercedes novamente, estaremos fazendo um trabalho muito bom e estaremos em uma posição muito boa, então espero que possamos nos encontrar nessa circunstância”, disse Russell.

“Mas não, definitivamente não há regras [estabelecidas], é apenas um pouco mais de bom senso.”

Russell também explicou que considera Hamilton e Bottas ‘companheiros de equipe’ - da mesma maneira que considera Nicholas Latifi na Williams.

Ele disse: “Como piloto, você nunca entra em um acidente planejando bater e terminar sua corrida, e certamente não com um ‘companheiro de equipe’.

“Estou aqui por causa da Mercedes, eles me ajudaram a passar de todas as categorias de base, eles realmente me ajudaram na Fórmula 1 e, como consequência, eles são uma família para mim, assim como a Williams é também.”

“Lewis e Valtteri são meus companheiros de equipe, assim como Nicholas é meu companheiro de equipe para mim, então a regra número um como piloto é não bater com seu companheiro de equipe.”

“Isso ficou para trás agora, vivemos e aprendemos e seguiremos em frente.”

BRIGA de 'gato e rato' entre Mercedes e Red Bull nos treinos em Portugal | SEXTA-LIVRE

PODCAST: TELEMETRIA: Tudo sobre o GP de Portugal e as mudanças no calendário com Rico Penteado

 

compartilhar
comentários
F1: Hamilton bate Verstappen e lidera TL2 mas Bottas é o mais rápido do dia em Portugal

Artigo anterior

F1: Hamilton bate Verstappen e lidera TL2 mas Bottas é o mais rápido do dia em Portugal

Próximo artigo

F1: Verstappen lamenta pista "muito escorregadia" em Portimão

F1: Verstappen lamenta pista "muito escorregadia" em Portimão
Carregar comentários