F1 - Vettel revela bastidores da decisão de aposentadoria: não foi da noite para o dia

Alemão alega que família e questões ambientais tiveram peso e que se sentirá mais aliviado nas próximas corridas

Sebastian Vettel, Aston Martin

Sebastian Vettel insiste que sua decisão de se aposentar da Fórmula 1 no final desta temporada não foi tomada da noite para o dia e que levou anos.

O piloto da Aston Martin explicou que enquanto ele ainda ama o automobilismo, sua família e interesses fora do esporte tiveram um papel importante na decisão.

Leia também:

O alemão também observou que pensar no seu futuro tem sido uma distração nas últimas semanas, e que, tendo tomado a decisão de parar, ele pode abordar as corridas restantes da temporada com mais tranquilidade.

“Bem, a linha do tempo nos leva anos atrás”, disse ele quando perguntado pelo Motorsport.com para explicar como e quando ele fez a escolha de parar.

“Então não é uma decisão que tomei da noite para o dia. Obviamente, a decisão final foi tomada ontem, dizendo à equipe que vou parar e não continuar. Mas houve muita reflexão levando a isso.

“Então sim, acho que é o momento certo para eu fazer outras coisas. Obviamente, eu sei quanta dedicação vai para isso. E se você fizer isso, estou convencido de que você tem que fazer da maneira certa. Não tenho muito prazer e motivação de estar aqui e apenas fazer parte disso.”

Sebastian Vettel, Aston Martin

Sebastian Vettel, Aston Martin

Photo by: Sam Bloxham / Motorsport Images

Vettel enfatizou que, embora a Aston Martin não tenha um carro competitivo no momento, ele valoriza muito a própria equipe e acredita que ela pode progredir.

“O objetivo sempre foi vencer e competir na frente”, disse ele. “Penso que fui muito privilegiado por ter tido tantos carros e equipes fantásticos no passado que consegui alcançar tantas coisas.

“Acho que em termos de grandeza, esta equipe não fica aquém de nenhum delas, em comparação com qualquer uma das anteriores, mas obviamente, nosso pacote não foi tão forte quanto gostaríamos que fosse.

“Então, não corremos pelas primeiras posições. Mas em termos de esforço, espírito de equipe, qualidade, acho que há todos os ingredientes certos. E vejo que a equipe fará progressos no ano que está por vir, e nos seguintes.

"Mas, como eu disse, tanta dedicação significa também muito tempo gasto em sua cabeça, em seus pensamentos, mas também fisicamente longe de casa, dos filhos, da família, e eu cultivei outras coisas, além dos filhos, que estão crescendo, são outros interesses e visões, e não posso ignorar essas vozes.

“Então, no final das contas, acho que as perguntas ficaram cada vez maiores e mais centrais a um ponto em que tomei a decisão.

"Não é uma decisão 100%-0%. Não é como se eu odiasse correr de agora, eu ainda amo correr.

“Mas é provavelmente a maioria que me puxa em uma direção diferente. E não estou abrindo caminho, porque é minha decisão, mas estou feliz em seguir uma direção diferente.”

Vettel raramente fala sobre sua família ou sua vida privada, mas enfatizou que sua esposa Hannah estava pronta para apoiar qualquer escolha que fizesse.

"Claro, passei muito tempo conversando com minha esposa", disse ele. "E ela provavelmente foi a primeira apoiadora em termos de continuar, e disse que, em última análise, é minha decisão.

“Acho que sou incrivelmente sortudo por ter encontrado algo que significa tanto para mim na minha vida, me deu tanta alegria, uma plataforma para fazer amigos e conhecer todo tipo de pessoa, viajar pelo mundo, ver coisas, abrir meus horizontes.

“E, sim, eu acho que ela tem dado muito apoio, dizendo que tem que ser minha decisão. Claro, ela tem uma opinião. Mas ela é muito solidária. E no final, é você quem decide, eu não posso decidir por você.”

Vettel admitiu que seu crescente interesse por questões ambientais influenciou seu pensamento.

"Sim, é um dos fatores que definitivamente desempenhou um papel. Não sei, não posso dar um número em termos de porcentagem, acho que seria bobagem.

“Mas com certeza, vendo o mundo mudando e vendo o futuro, em uma posição muito ameaçada para todos nós, e especialmente para as próximas gerações - eu entendo que parte da minha paixão, meu trabalho está vindo com coisas que eu não sou um fã de, obviamente, viajar pelo mundo, correr em carros, queimar recursos, literalmente.

“Eu acho que uma vez que você vê essas coisas, e uma vez que você está ciente, então eu não acho que você pode realmente deixar de ver. Não é o fator principal. Como eu disse, é uma combinação de muitas coisas, mas também faz parte da decisão.”

Questionado se, por ter tomado a decisão de parar, ele pode estar sem motivação para as corridas restantes da temporada de 2022, Vettel sugeriu que ele agora está mais relaxado.

"Não vejo que terei problemas para me motivar nas próximas 10 corridas. Sinto um pouco o contrário.

“Sinto que, obviamente, essa decisão está na minha cabeça há tanto tempo e consumiu tanta energia, para ser honesto, e talvez às vezes até me distraiu um pouco, que estou bastante aliviado e ansioso pelas próximas corridas. Então, talvez seja mais o oposto."

 

TELEMETRIA: RICO PENTEADO analisa quem pode chegar na FRENTE na HUNGRIA

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #187 – Marko está certo ao colocar Verstappen como “a maior história de sucesso da Red Bull”?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Cotado na Aston Martin, Alonso compara Vettel a Hamilton e Schumacher e reflete sobre aposentadoria da F1
Próximo artigo F1: Hamilton rasga elogios a Vettel e ressalta companheirismo: “ficou ao meu lado em muitas coisas”

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil