Kubica não é candidato a vaga em 2017, insiste Renault

Diretor da equipe, Cyril Abiteboul diz que objetivo é avaliar condições do polonês para o ano que vem e insiste que Palmer permanece na equipe em Spa

Kubica não é candidato a vaga em 2017, insiste Renault
Robert Kubica, Renault F1 Team
Robert Kubica, Renault F1 Team
Cyril Abiteboul, Managing Director, Renault Sport F1 Team, in the Team Principals' Press Conference
Robert Kubica, Lotus Renault
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17
Robert Kubica, Renault F1 Team
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team and fans
Marshals remove the retired Jolyon Palmer Renault Sport F1 Team RS17
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team, Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team, with René Arnoux, wearing classic overalls
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17 stops on track on the parade lap
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team
Carregar reprodutor de áudio

A Renault insiste que Robert Kubica não é candidato a uma vaga de titular neste ano, com a montadora francesa convicta de que o teste de Hungaroring será puramente para avaliar se o polonês pode ou não retornar à F1 em 2018.

Kubica terá sua primeira oportunidade de experimentar um carro de F1 atual no teste que será realizado na semana que vem, pouco após o GP da Hungria, o que gerou mais especulações de que ele poderá ser nomeado como um substituto para Jolyon Palmer ainda este ano.

Houve, inclusive, rumores de que Kubica poderia voltar à F1 no GP da Bélgica, no próximo mês.

Mas o diretor esportivo da Renault, Cyril Abiteboul, desmentiu tal conversa, confirmando que Palmer manterá sua vaga após as férias de agosto e que o teste de Kubica tem como objetivo avaliar suas condições físicas para um potencial retorno em 2018.

“Nós continuaremos apoiando Jo – e não há mudança alguma dos planos”, disse Abiteboul ao Motorsport.com, pouco antes do GP da Hungria.

“É verdade que, com Robert, sentimos que precisamos investigar um pouco mais após todos os testes que ele fez. Obviamente houve testes que fizemos com o carro de 2012, mas também fizemos outras coisas – exames médicos e simulador, sobre os quais não quero entrar muito em detalhes.”

“É verdade que, baseado em todas essas coisas até agora, queremos dar uma olhada mais de perto para saber o quão realista seria para Robert poder guiar novamente um carro de F1 moderno, possivelmente em um contexto de corrida.”

“A última oportunidade para poder fazer isso será no teste da Hungria, e estamos assumindo essa oportunidade. Mas é algo que é de médio a longo prazo. Não é algo para agora, nem para fazer algo com nossa formação de pilotos em curto prazo.”

Abiteboul esclareceu que, mesmo que Kubica mostre um ritmo forte na Hungria, isso não significa que automaticamente ele teria uma chance para uma vaga na Renault no ano que vem.

“Robert pode ser um candidato para 2018, mas, antes de o considerarmos um candidato, temos de observar – particularmente como ele irá lidar com os carros com mais pressão aerodinâmica e potência, porque claramente o carro que ele pilotou até agora não é representativo.”

“Francamente, mesmo que ele vá bem, isso não significa imediatamente que teremos de escolhê-lo para 2018, porque há mais coisas que precisamos olhar.”

Equipe diz a Palmer que Kubica não é ameaça imediata

Abiteboul disse que conversou com Palmer sobre o teste de Kubica e garantiu ao inglês que ele não sofre a ameaça de perder sua vaga, apesar das especulações recentes.

“Eu disse a ele que Robert não é uma ameaça imediata. Claramente estamos analisando nossas opções para 2018, e Jo pode ser uma opção para 2018. Isso está em suas mãos.”

“O que estamos fazendo com Robert não tem nada a ver com o que Jo faz em seu fim de semana, até mesmo após as férias. Mas não haverá um piloto substituto em Spa, mesmo que eu tenha reportagens indicando isso.”

“Posso confirmar que Jo estará pilotando em Spa – e o plano é que ele guie até o fim da temporada. Jo e Robert são dois aspectos diferentes.”

As esperanças de Palmer em marcar pontos pela primeira vez no ano ganharão força com o fato de que ele terá um novo assoalho em seu Renault para o GP da Hungria. A novidade fez com que Nico Hulkenberg tivesse o fim de semana mais competitivo da equipe na última prova, em Silverstone.

Abiteboul espera que Palmer possa recuperar sua confiança, sendo que a própria Renault tem de evitar o tipo de problemas mecânicos que tiraram o inglês de sua corrida de casa na volta de apresentação.

“Ele precisa ter confiança e m si mesmo, precisa ter confiança na equipe e precisa ter confiança em sua situação para poder marcar pontos.”

“Espero que o pacote que levaremos a Budapeste permita que a equipe marque pontos – e ele deverá estar com a equipe nessa. Ele precisa render como qualquer piloto que chega a F1 tem de render. Não vou negar o fato de que há pressão. É um ambiente competitivo e isso nunca vai acabar, mas não é uma pressão em curto prazo.”

Kubica pilotará pela Renault na próxima quarta-feira, no segundo e último dia das atividades em Hungaroring após o GP da Hungria.

compartilhar
comentários
Gasly ainda crê em vaga na Toro Rosso para 2018
Artigo anterior

Gasly ainda crê em vaga na Toro Rosso para 2018

Próximo artigo

Os desafios de Hungaroring: prévia técnica do GP da Hungria

Os desafios de Hungaroring: prévia técnica do GP da Hungria