Leclerc: "Sofremos com o superaquecimento dos macios no último setor"

Piloto da Ferrari ficou desapontado por ter conseguido apenas a nona colocação, após ter ficado em terceiro no Q1 e ter feito uma volta mais rápida que a do Q3

Leclerc: "Sofremos com o superaquecimento dos macios no último setor"

Charles Leclerc teve um bom começo de qualificação para o GP de Abu Dhabi de Fórmula 1, realizada neste sábado (12). O piloto marcou o terceiro melhor tempo do Q1 e parecia no caminho de compensar a punição de três posições que recebeu para a corrida deste domingo, devido ao incidente com Sergio Pérez e Max Verstappen no GP de Sakhir. No entanto, ele não impôs o mesmo ritmo no Q3 e terminou apenas na nona colocação, que o joga para 12º.

O monegasco conseguiu passar com os vantajosos pneus médios no Q2, mas não conseguiu repetir sua forma nos macios no Q1 - onde ficou atrás apenas da dupla da Mercedes, Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, e à frente do eventual pole, Verstappen.

Leia também:

Questionado sobre o quão fundamental foi progredir para o Q3 nos médios, que duraram muito mais do que os macios em corridas longas nos treinos para a corrida de Abu Dhabi, Leclerc disse ao Motorsport.com que "era importante", mas antes disse seus pensamentos sobre o Q3.

“Estou um pouco desapontado porque gostaria que pudéssemos fazer algo mais no Q3, o que não aconteceu”, continuou, depois de ir 0,184s mais lento na última parte do que no Q1. “Lutamos muito mais no Q3 com as temperaturas dos pneus por algum motivo. Portanto, precisamos entender isso, mas estamos felizes por ter chegado onde estamos. ”

Leclerc explicou que o problema residia em “manter [os pneus] frescos no final da volta”, e acrescentou: “Estávamos sofrendo com o superaquecimento no último setor e isso nos fez perder um pouco do tempo ideal”.

A penalidade do piloto coloca o monegasco em 12º na corrida final da temporada de 2020, atrás da dupla da Renault Esteban Ocon e Daniel Ricciardo, que foram eliminados no Q2 e estão livres para escolher seu composto inicial.

“Não acho que seja tão ruim no final [começar atrás dAs Renaults], porque teríamos escolhido o meio se pudéssemos, disse Leclerc. “Então, felizmente, fizemos um bom trabalho no Q2, o que nos ajuda a começar com nosso pneu preferido. Teria sido muito mais difícil [começar com os macios] porque… bem, poderia ter tido uma vantagem para duas voltas, mas depois disso todos nós sabemos que o composto se desgasta muito.”

compartilhar
comentários
F1: Verstappen explica como sua mão ficou presa no cockpit durante o Q1

Artigo anterior

F1: Verstappen explica como sua mão ficou presa no cockpit durante o Q1

Próximo artigo

F1: Alonso 'voa' com R25, bate pole de Hamilton em 2012 e exalta era V10

F1: Alonso 'voa' com R25, bate pole de Hamilton em 2012 e exalta era V10
Carregar comentários