Russell e Latifi lamentam afastamento da família Williams da F1: "Continuaremos lutando para representá-los"

Dupla da equipe comentou a notícia na coletiva de imprensa do GP da Itália, que acontece neste fim de semana

Russell e Latifi lamentam afastamento da família Williams da F1: "Continuaremos lutando para representá-los"

Nesta quinta-feira, Claire Williams anunciou sua saída do cargo de chefe da Williams na Fórmula 1, marcando o fim do relacionamento da família com a equipe criada em 1977 por Sir. Frank Williams. Em preparação para o GP da Itália, oitava etapa da temporada 2020, George Russell e Nicholas Latifi lamentaram a notícia.

Há duas semanas, a Williams anunciou a venda da equipe para a Dorilton Capital, grupo de investimento norte-americano, após meses de negociações para garantir o futuro das operações de F1.

Leia também:

O fundador da equipe, Sir. Frank e a chefe Claire encerrarão sua associação de longa data com a equipe como parte da revisão estratégica que está sendo conduzida pela Dorilton.

Os pilotos da Williams na F1, George Russell e Nicholas Latifi foram informados da saída nesta quinta e expressaram suas tristezas pelo fim do relacionamento da família com a equipe.

"Obviamente é um dia triste para nós", disse Russell. "Para mim, pessoalmente, Frank e Claire deram a minha primeira oportunidade na F1. É algo que estou muito agradecido, ter a oportunidade de correr por uma equipe tão prestigiada nesses dois anos".

"É triste ver a família Williams se afastando, mas a história da Williams seguirá. Vamos seguir como equipe Williams e continuaremos lutando para representar a família".

Latifi disse que ficou surpreso coma notícia da saída repentina da família Williams.

"Definitivamente fiquei chocado com a notícia", disse. "Acho que, quando surgiu a notícia da venda da equipe, essa possibilidade já passava pela minha cabeça".

"Para mim, eu ainda não fiz uma temporada completa na Fórmula 1, mas estou com a equipe e a família desde o ano passado. Certamente, é muito especial, como George disse, ter a primeira chance na F1 vindo das mãos de Claire e Frank".

"Será sempre especial para mim ter começado com a Williams. Eles deram a tantos pilotos suas primeiras oportunidades. A cultura que foi criada por eles seguirá. Isso é algo que não vai embora".

A Williams ainda não anunciou quem assumirá a função deixada por Claire após o GP da Itália, mas Russell disse estar confiante que a equipe estará em boas mãos.

"Para Claire e a Williams, a equipe significa muito para eles, mais do que para qualquer outro. Eles não teriam vendido para uma companhia que eles não teriam fé, que manteriam os interesses da equipe".

"Estou tranquilo com a situação, sabendo que, se Claire e a família Williams estão felizes, eles estão fazendo isso tendo em vista o melhor para a equipe".

Russell disse ainda que um substituto para o cargo não precisaria necessariamente de experiência anterior na F1, citando o sucesso de Toto Wolff na Mercedes como exemplo.

"Se você olhar para Toto, ele tinha alguma experiência no esporte, mas quase nada de F1. Ele veio e não fez feio. Para ser honesto, acho que isso não é tão importante".

Vettel comenta rumores sobre ida p/ Racing Point e fala de outras categorias para 2021

Podcast #065 – O que será da F1 no Brasil em 2021, sem Globo, pilotos e corrida?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

compartilhar
comentários
Montezemolo aponta principais erros que levaram à crise da Ferrari: "Pensavam que poderiam vencer com um estalar de dedos"
Artigo anterior

Montezemolo aponta principais erros que levaram à crise da Ferrari: "Pensavam que poderiam vencer com um estalar de dedos"

Próximo artigo

Netflix anuncia primeiro drama ficcional sobre a vida de Ayrton Senna

Netflix anuncia primeiro drama ficcional sobre a vida de Ayrton Senna
Carregar comentários