Vai para o lixo? Ferrari diz que motor de Leclerc em Baku está "além do reparo"

À beira da punição de dez posições no grid de largada, Charles Leclerc declara que poderia escolher fazer a troca do motor e levar o pênalti já no Canadá

Vai para o lixo? Ferrari diz que motor de Leclerc em Baku está "além do reparo"
Carregar reprodutor de áudio

Charles Leclerc, que havia feito a sexta pole na temporada da Fórmula 1, tinha uma vantagem de 13 segundos na liderança do GP do Azerbaijão após parar durante o Virtual Safety Car, que entrou na corrida após o abandono em decorrência de problemas elétrico de Carlos Sainz, seu companheiro.

Mas as chances de vitória, literalmente, esfumaçaram-se com o estouro de seu motor, deixando o caminho livre para Max Verstappen vencer na terceira corrida seguida que a Ferrari perde um potencial triunfo.

A unidade de potência utilizada em Baku era composta por um motor a combustão interno, que, apesar de reformado e aprovado para uso, foi parte da configuração que falhou quando Leclerc liderava na Espanha.

O mais recente abandono, causado por problemas no turbo e MGU-H, teve uma unidade de potência que mesclava peças antigas com novas em uma das pistas com as maiores existências de aceleração do calendário. A própria Ferrari insinuou que essa mistura poderia ter causado o fim precoce do monegasco em Baku.

O monegasco, que não vence desde a Austrália, agora terá um powertrain totalmente novo no GP do Canadá, que será realizado neste final de semana, depois que o sistema no Azerbaijão foi considerado “além do reparo”. Em comunicação, a equipe disse o seguinte:

“[Uma] investigação confirmou que a UP [Unidade de potência] de Charles em Baku está além do reparo. Uma possível causa da falha é consequência do que ocorreu com a UP na Espanha. Agora estamos trabalhando em encontrar medidas para fortalecer o pacote e a situação está sob controle.”

A falha em Baku deixou Leclerc no limite de uma penalização de 10 posições no grid, enquanto, agora, tem uma desvantagem de 34 pontos para o líder do campeonato, Max Verstappen.

Charles Leclerc will soon be facing grid penalties after moving to his third power unit of 2022

Charles Leclerc will soon be facing grid penalties after moving to his third power unit of 2022

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Com 80 pontos de desvantagem para a Red Bull, a Ferrari tem uma especificação de powertrain revisada em uma tentativa de melhorar a confiabilidade. Essa segunda UP e mais o novo turbocompressor em Baku deixaram Leclerc no limite de três turbos permitidos por temporada.

Perguntando sobre a possibilidade de tomar uma penalização no grid de largada, o monegasco disse: “então, para a mudança da unidade de potência, ainda estamos em discussões. Por enquanto, nenhuma decisão foi tomada, mas, sim, não é a melhor posição a se estar.”

Em que pese Montreal ser uma pista de com uma longa reta, o que, potencialmente, favorece ao perfil aerodinâmico do carro da Red Bull e seu forte motor Honda – rebatizado de Red Bull Powertrain ou RBPT –, Leclerc disse que, se pudesse, escolheria essa pista para tomar a punição pelas boas condições de ultrapassagem.

“Se for levar uma penalidade, devemos escolher onde será melhor tomá-la. Esta é uma das pistas onde é mais fácil ultrapassar, mas também há pistas nas próximas três ou quatro corridas em que também existem pontos de ultrapassagem”, disse. “Então, vamos discutir e tentar tomar a melhor decisão”, finalizou.

compartilhar
comentários
GP do Canadá de F1: Entenda os pontos chaves do circuito Gilles Villeneuve
Artigo anterior

GP do Canadá de F1: Entenda os pontos chaves do circuito Gilles Villeneuve

Próximo artigo

F1: Haas deve adiar pacote de atualizações até o GP da Hungria

F1: Haas deve adiar pacote de atualizações até o GP da Hungria