Fórmula E
22 nov
-
22 nov
Evento encerrado
R
ePrix de Santiago
17 jan
-
18 jan
Próximo evento em
35 dias
R
ePrix da Cidade do México
14 fev
-
15 fev
Próximo evento em
63 dias
R
ePrix de Marraquexe
27 fev
-
29 fev
Próximo evento em
76 dias
R
ePrix de Sanya
20 mar
-
21 mar
Próximo evento em
98 dias
R
ePrix de Roma
03 abr
-
04 abr
Próximo evento em
112 dias
R
ePrix de Paris
17 abr
-
18 abr
Próximo evento em
126 dias
R
ePrix de Seul
02 mai
-
03 mai
Próximo evento em
141 dias
R
ePrix de Jacarta
05 jun
-
06 jun
Próximo evento em
175 dias
R
ePrix de Berlim
20 jun
-
21 jun
Próximo evento em
190 dias
R
ePrix de Nova York
10 jul
-
11 jul
Próximo evento em
210 dias
R
ePrix de Londres
25 jul
-
25 jul
Próximo evento em
225 dias

Wehrlein dispara contra Di Grassi: “quando estou perto dele, sempre tocamos”

compartilhar
comentários
Wehrlein dispara contra Di Grassi: “quando estou perto dele, sempre tocamos”
Por:
Co-autor: Tom Errington
18 de fev de 2019 14:05

Alemão acredita em ataque além do limite por parte de brasileiro na última volta do ePrix da Cidade do México

Pascal Wehrlein insiste que não obteve vantagem durante seu confronto com Lucas di Grassi no final da corrida no México do último domingo.

Wehrlein cruzou uma chicane e ficou na frente no meio da disputa, e depois foi ultrapassado por Di Grassi na corrida para a linha de chegada enquanto seu carro perdia potência atingindo seu limite de energia. Ele recebeu uma penalidade de cinco segundos imediatamente após a corrida, o fazendo cair de segundo para sexto.

"O que não me agrada é a punição", disse Wehrlein ao Motorsport.com. “Passar do segundo lugar para o sexto não é o que merecemos e também não obtive vantagem na chicane”.

“Mas estas são as regras, os comissários decidiram assim. Eles pensaram que eu tive uma vantagem por causa disso.”

"Todo mundo viu o quanto eu diminuí o ritmo após a curva – eu estava cerca de três ou quatro segundos à frente e depois não acelerei até que eles estivessem bem atrás de mim novamente. Essa é a única coisa que me decepciona.”

"Não estou desapontado com a falta de energia nos últimos 50m porque isso é a Fórmula E, e da próxima vez vou garantir que isso não aconteça.”

Wehrlein explicou que o esforço intenso durante os primeiros estágios da corrida “foi um pouco confuso” e, no fim, causou o seu desligamento da linha de chegada.

"Depois você percebe aqui e ali que você poderia ter feito algo diferente, mas como foi a minha primeira corrida de energia plena – a outra em Santiago foi limitada pela temperatura – fiquei muito feliz", acrescentou.

"50m não é muito, isso é levantar o pé para uma curva 10 ou 20 metros antes."

Quando lhe pediram para dar sua opinião sobre a última manobra de Di Grassi, Wehrlein disse: “sempre que estou perto dele, nós nos batemos ou nos tocamos. Parece ser o jeito que ele gosta de dirigir. Para mim, tudo bem”.

Di Grassi sentiu Wehrlein sendo "mais do que agressivo" em sua defesa no final de corrida.

"Na última volta eu estava atrás dele e fingi ir para o lado de fora e ele deixou uma porta, uma porta pequena suficiente para eu ir para dentro entre a parede e a zebra e eu fui", ele continuou.

"Eu fiquei lado a lado com ele e depois ele cortou a chicane na curva 4. Provavelmente ele iria receber uma penalidade de qualquer maneira, mas essa foi a jogada que foi fundamental."

Próximo artigo
Nelsinho e Vergne discordam em análise sobre acidente no México

Artigo anterior

Nelsinho e Vergne discordam em análise sobre acidente no México

Próximo artigo

Mercedes revela pintura de carro conceito da Fórmula E

Mercedes revela pintura de carro conceito da Fórmula E
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula E
Evento Cidade do México
Pilotos Pascal Wehrlein
Equipes Mahindra Racing
Autor Alex Kalinauckas