MotoGP GP da Austrália

MotoGP: Márquez admite que primeira fila não seria possível sem 'ajuda externa'

Vácuo dado por Pecco Bagnaia ajudou o hexacampeão a conseguir o segundo lugar na classificação deste sábado

Marc Marquez, Repsol Honda Team

O hexacampeão mundial de MotoGP, Marc Márquez, perdeu a pole em Phillip Island no sábado para Jorge Martin, da Pramac, por apenas 0,013 segundos.

Márquez utilizou o vácuo de Pecco Bagnaia na sua última corrida no quali para se colocar à frente do piloto da Ducati e conquistar pela segunda vez a chance de largar na primeira fila desde que recuperou da lesão. Mas ele admite que não foi possível conseguir isso sem a ajuda de Bagnaia, já que o atual pacote da Honda não é bom o suficiente para fazer o tempo de volta de 1m27.780s que ele conseguiu.

Leia também:

“Claro que a referência de Pecco, a correte de ar de Pecco, foi crucial”, disse Márquez. “Sem esse vácuo, com o pacote que temos agora com a Honda, seria impossível rodar neste tempo de volta.

“Mas você precisa fazer isso e eu o segui, fiz uma boa volta e para amanhã o ritmo não é ruim – não é o melhor, mas não é ruim. Trabalhei bem e, especialmente, a equipe trabalhou muito bem durante todo o fim de semana.

“Ontem trabalhamos para o futuro [experimentando novas peças aerodinâmicas], hoje trabalhamos para o presente. Estamos subindo, estamos cada vez mais perto dos caras da frente.”

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Photo by: Gold and Goose / Motorsport Images

Márquez perdeu uma de suas voltas no início da sessão do Q2, quando perdeu o front-end de sua Honda na curva 10. Ele conseguiu salvar o momento em um incidente semelhante ao que teve exatamente no mesmo local nos treinos para o GP da Austrália de 2019.

Embora ele admita que “não é o melhor sinal” de seu retorno à forma física, ele revelou que seu corpo reagiu da mesma maneira naquele momento, como em 2019, antes de sua grave lesão no braço.

“Sim, eu estava indo rápido naquela volta e entrei na curva 10 rápido”, explicou Márquez. "Já na volta anterior pude ver que Pecco estava girando muito e pude ver que a aderência que eles tinham era incrível. No último momento, tentei empurrar um pouco mais a frente para tentar virar e foi exatamente o mesmo momento de 2019.

“O bom é que o braço, tudo, todo o corpo reagiu da mesma forma e foi exatamente o mesmo movimento [de 2019]. Então, não é o melhor sinal porque significa que estamos no limite, mas foi bom para as pessoas [assistindo].”

Os riscos que a Red Bull corre em função da quebra do teto de gastos

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura durante nossos programas. Não perca!

Podcast: feitos da RBR podem ser 'manchados' por violação do teto de gastos?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior MotoGP: Jorge Martin surpreende e crava pole na Austrália; Bagnaia larga na primeira fila e Quartararo em quinto
Próximo artigo MotoGP: Quartararo faz 'autocrítica' e diz que esforço no quali "nunca é suficiente"

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil