MotoGP: Yamaha não permitirá que Viñales corra GP da Grã-Bretanha

Substituto do espanhol será o britânico Cal Crutchlow, enquanto jovem estará ao lado de Valentino Rossi na SRT; entenda

MotoGP: Yamaha não permitirá que Viñales corra GP da Grã-Bretanha

Maverick Viñales vai continuar afastado da Yamaha no GP da Grã-Bretanha de MotoGP do próximo fim de semana, já que a equipe não vai permitir que o espanhol corra em Silverstone, apurou o Motorsport.com.

Viñales foi suspenso pela Yamaha após o GP da Estíria, no qual ele tentou deliberadamente danificar o motor de sua moto nas últimas voltas. A marca, então, anunciou na véspera do GP da Áustria que Viñales tinha sido suspenso e retirado da segunda corrida do Red Bull Ring.

O editor recomenda:

O espanhol pediu desculpas publicamente à Yamaha no sábado na Áustria, admitindo que suas ações no GP da Estíria foram motivadas pela frustração com sua situação durante a corrida e dentro da Yamaha em geral.

A relação entre as duas partes 'quebrou' irreparavelmente ao longo da temporada 2021, com Viñales solicitando que seu contrato de dois anos fosse encerrado no final da atual campanha, um ano antes do previsto.

Na segunda-feira, a Aprilia confirmou que contratou Viñales para a temporada 2022. Já a Yamaha disse, na semana passada, que qualquer decisão sobre Viñales competir em novas corridas este ano estaria sujeita a discussão.

“No momento, tudo é possível,” disse Massimo Meregalli, da Yamaha, ao BT Sport no fim de semana passado. “A decisão [de suspendê-lo] foi tomada por nós [na Europa]. Tivemos algumas conversas com o Japão, mas o primeiro passo foi suspender. Veremos", afirmou.

Maverick Vinales, Yamaha Factory Racing

Maverick Vinales, Yamaha Factory Racing

Photo by: Gold and Goose / Motorsport Images

De todo modo, o Motorsport.com pode confirmar que Viñales não vai correr na Grã-Bretanha, com o piloto de testes da Yamaha Cal Crutchlow, britânico, preparado para assumir o comando da segunda M1 de fábrica ao lado do francês Fabio Quartararo para o seu evento em casa.

Crutchlow, que se aposentou no final de 2020 ao sair da Honda LCR, foi o substituto do lesionado italiano Franco Morbidelli na Yamaha Petronas SRT na rodada dupla da Áustria e deveria fazer o mesmo em Silverstone.

Assim, quem correrá ao lado do italiano Valentino Rossi na equipe satélite da marca japonesa será o piloto da Moto2 Jake Dixon, britânico que fará sua estreia na categoria rainha da motovelocidade mundial em frente ao seu público local.

A SRT usará a oportunidade para avaliar Dixon como opção para 2022. A equipe, que perderá o patrocínio da Petronas no ano que vem e deve ter motos de 2021 da Yamaha, busca um novo companheiro para Morbidelli, já que o heptacampeão Rossi se aposentará.

Com opções limitadas, a SRT pode promover o sul-africano Darryn Binder direto da Moto3 para a MotoGP no próximo ano, com o irmão de Brad Binder, da KTM, testando uma Yamaha Superbike em Brno na terça-feira. Quanto a Viñales, não se sabe se ele corre os próximos GPs.

F1: BURTI revela início DIFÍCIL com GALVÃO e traz história INCRÍVEL de como conseguiu vaga na GLOBO

PODCAST: Luciano Burti abre o jogo sobre F1, Globo e ausência na Band

 

.

compartilhar
comentários
MotoGP: Mir acredita que só continua na disputa por título se vencer "duas ou três corridas"
Artigo anterior

MotoGP: Mir acredita que só continua na disputa por título se vencer "duas ou três corridas"

Próximo artigo

MotoGP revisa calendário com cancelamento de GP da Malásia; veja

MotoGP revisa calendário com cancelamento de GP da Malásia; veja
Carregar comentários