ANÁLISE: Como a F1 se perdeu nas próprias regras na Arábia Saudita

Corrida de Jeddah foi rodeada de polêmicas por inconsistência em punições, interrupções exageradas e até 'negociação' de penalidade

ANÁLISE: Como a F1 se perdeu nas próprias regras na Arábia Saudita
Carregar reprodutor de áudio

O GP da Arábia Saudita ofereceu um teste de estresse ao mundo da Fórmula 1: a gestão da corrida falhou em administrar um desafio que expôs as muitas inconsistências das quais a FIA perdeu o controle. Michael Masi parecia inadequado para lidar com o desafio entre Max Verstappen e Lewis Hamilton e, na verdade, piorou as coisas ao tentar buscar uma mediação fora da regra. Um mau sinal antes de Abu Dhabi.

A temporada de 2021 atingiu níveis de tensão que encontram poucos precedentes na história da categoria. O confronto tenso entre o britânico e o holandês evoluiu para uma luta global entre Red Bull e Mercedes, e neste clima tudo parece estar sendo levado ao extremo, cada pequeno detalhe é analisado, cada acontecimento vira assunto de discussão e pequenos cenários que em outros campeonatos teriam passado despercebidos passam a ser um caso.

Leia também:

Neste contexto, o trabalho de quem está na sala de controle não é fácil, mas também é verdade que é precisamente nestes momentos que surge o desafio para quem é chamado a gerir o regulamento e manter tudo 'ok'.

A impressão que surgiu ao final do GP da Arábia Saudita é que o teste de estresse que a FIA passou nas últimas semanas está revelando deficiências, e isso não é dito apenas por fãs, mas também por várias pessoas do setor.

Regulamentações, decisões e gestão de emergências costumam refletir um contexto desordenado, produto de regras desenvolvidas há anos e que provavelmente começam a dar sinais de envelhecimento.

Nesse contexto se encaixa a figura de Masi, que se viu no papel de diretor de provas em circunstâncias dramáticas (como a morte repentina de Charlie Whiting na véspera do GP da Austrália de 2019) e que é chamado a pegar o bastão de uma figura histórica e institucional.

Michael Masi, director de carrera.

Michael Masi, director de carrera.

Photo by: Jerry Andre / Motorsport Images

Na noite de Jeddah, ocorreram situações inéditas para quem não opera entre o pit wall e a direção da corrida, como a "negociação" entre Michael e os responsáveis ​​pela Mercedes e Red Bull (Ron Meadows e Jonathan Wheatley) para encontrar um acordo sobre como compor o grid de largada após a suspensão da corrida.

A bandeira vermelha causada pelo acidente de Mick Schumacher na nona volta da corrida na Curva 23 foi muito contestada. Oficialmente, a sinalização foi necessária para uma revisão das barreiras do TecPro, mas para muitos especialistas foi exagerada, visto que após 20 minutos a corrida foi reiniciada, e em tão curto espaço de tempo não são possíveis intervenções substanciais.

A primeira interrupção mudou drasticamente a classificação e desencadeou outros episódios muito polêmicos que ocorreram logo após a segunda largada. Uma sucessão de pedidos de esclarecimento que a certa altura levou Masi a dizer pelo rádio (em uma de suas muitas comunicações) que não conseguia acompanhar todos eles.

O sistema enlouqueceu, ou assim parecia do lado de fora. Todos os questionamentos das equipes são legítimos e se referem a regras que foram produzidas ao longo dos anos, mas é isso, os regulamentos parecem ter sido impostos.

"A certa altura, reclamamos que Lewis não respeitou a regra de espaçamento na volta de formação", admitiu Christian Horner, chefe da Red Bull, após a corrida. "Parece que em uma reinicialização, essa regra não se aplica. Hoje tive a sensação de que Charlie Whiting fez falta, sua experiência foi importante para todo o esporte."

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16B, Esteban Ocon, Alpine A521, y Lewis Hamilton, Mercedes W12, en el reinicio en Yeda.

Max Verstappen, Red Bull Racing RB16B, Esteban Ocon, Alpine A521, y Lewis Hamilton, Mercedes W12, en el reinicio en Yeda.

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

Horner não estava de bom humor no final da corrida, compreensivelmente, porque há razões para reclamar. Quatro carros de segurança virtuais, confusão nas comunicações que informaram Mercedes e Red Bull do retorno da posição de Verstappen a Hamilton e polêmica pela mesma manobra de ultrapassagem. Um alvoroço que dominou tudo, ofuscando um confronto acalorado, difícil e fascinante que deve colocar os dois pilotos no centro das atenções.

Em vez disso, como nos piores dias do futebol, o árbitro era questionado nos eventos pós-corrida em Jeddah. O papel de Masi não é fácil, principalmente no clima atual, mas não podemos fingir que não há lacunas e que são necessárias medidas corretivas.

A FIA também está pagando o preço por uma perda gradual de seu papel que ocorreu ao longo dos anos. Com exceção da segurança (setor em que está sempre muito ativa e presente), a impressão é que, ao longo do tempo, o papel de quem deveria estar acima de tudo foi removido. As regras são discutidas lá e a federação coloca sua marca nos conselhos mundiais.

Ouvir as opiniões de todos é a coisa certa a fazer, mas as decisões devem ser tomadas por aqueles em maior nível na hierarquia. O que surgiu na noite de domingo em Jeddah é uma F1 embrulhada em si mesma, cheia de condições que, vistas individualmente, também fazem sentido, mas que no conjunto pintam o panorama de um contexto que se tornou demasiado complexo, não só para quem vê, mas também para quem nela atua.

Em sete dias estaremos no epílogo de uma temporada linda e apaixonante, depois haverá uma pausa de inverno que esperançosamente também servirá para reflexão, colocar as coisas em ordem e repensar papéis e regras.

F1 2021: VERSTAPPEN e HAMILTON travam GUERRA na Arábia Saudita e chegam EMPATADOS para decisão | PÓDIO

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #149: Frank Williams é o maior personagem da F1 fora das pistas?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Norris detona regra "estúpida" de troca de pneus sob bandeira vermelha
Artigo anterior

F1: Norris detona regra "estúpida" de troca de pneus sob bandeira vermelha

Próximo artigo

F1 - Russell: "Automobilismo tem muito a aprender com perigo desnecessário de Jeddah"

F1 - Russell: "Automobilismo tem muito a aprender com perigo desnecessário de Jeddah"
Carregar comentários