ANÁLISE: Ida para Aston pode ser passo de Vettel para visar Mercedes no futuro; entenda

compartilhar
comentários
ANÁLISE: Ida para Aston pode ser passo de Vettel para visar Mercedes no futuro; entenda
Por:

O anúncio sacramenta uma história que, se fosse dita no início do ano, seria colocada como ficção

O tetracampeão da Fórmula 1 Sebastian Vettel foi confirmado nesta quinta (10) como piloto da Aston Martin, em um contrato de um "ano e além". Ele transformou um acordo que parecia ser o resultado de especulações em um acordo que lhe oferece a chance de pilotar um carro com DNA próximo ao da Mercedes.

"Ainda amo muito a F1 e minha única motivação é poder correr nas primeiras posições. Fazer isso com a Aston Martin será um enorme privilégio".

Leia também:

Quando os rumores das negociações do piloto com a Racing Point surgiram em julho, alguns consideraram apenas "especulações", não tanto por falta de confiança, mas pela dificuldade em colocar um tetracampeão em uma equipe que nunca venceu um GP.

Um piloto de ponta fora das equipes de ponta não é algo que se vê todos os dias. Você precisa de um desejo de se envolver, e uma paixão que supere os medos de se ver com objetivos diferentes das pessoas ao redor.

No início do ano, essa notícia pareceria ficção, mas hoje está sacramentada. E ainda mais ficção uma hipotética passagem de Vettel pela Racing Point com a possibilidade (concreta) de que, no próximo ano, ele possa bater sua antiga equipe.

O anúncio do acordo Vettel - Aston Martin atesta que ele ainda adora da F1 e que a Racing Point pode contar com uma equipe técnica importante. Mas, mais do que os demais: que o futuro ex-piloto da Ferrari entra oficialmente na órbita da Mercedes.

Embora o chefe da Racing Point, Otmar Szafnauer, não perca a oportunidade de enfatizar a independência técnica de sua equipe, o cordão umbilical com Brackley (sede da Mercedes) estará sempre lá, podendo ser remodelado "de acordo com" o regulamento.

E é com isso que Vettel está contando. Que, no momento, ele está se amarrando a um projeto por uma temporada esperando ter ideias mais claras para o futuro. "Sebastian Vettel está vinculado à Aston Martin por um ano... e além".

Esperando para ver o que vai acontecer na Mercedes e ao redor, Vettel preferiu um ano na pista a um sabático, então, nunca diga nunca, dado o salto que a Racing Point foi capaz de garantir de um ano para o outro. Era melhor não excluir nenhuma opção.

A ambição e o potencial econômico de Lawrence Stroll podem mexer com muitos aspectos, e não excluímos a priori que a Mercedes, hoje um sonho proibido para Vettel, possa encontrá-la (em alguma figura proeminente) na sede de Silverstone, na antiga Force India, hoje Racing Point e Aston Martin no futuro próximo.

Todas as notícias sobre o GP da Toscana Ferrari 1000 da F1 você acompanha no site do Motorsport.com e em nosso canal no YouTube. Fique por dentro de todas as novidades e análises e confira nossos programas e vídeos!

F1: Saiba quem é o novo chefe da Williams após saída de Claire e veja quem comanda os outros times

Podcast #066: Vitória de Gasly prova que F1 é ambiente ‘onde os fracos não têm vez’?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

F1: Vettel admite que esteve perto de aposentadoria antes de optar por Aston Martin

Artigo anterior

F1: Vettel admite que esteve perto de aposentadoria antes de optar por Aston Martin

Próximo artigo

DIRETO DO PADDOCK: Vettel confirmado na Aston, Pérez ‘chutado’ e McLaren ‘à venda’ com a participação de Enrique Bernoldi

DIRETO DO PADDOCK: Vettel confirmado na Aston, Pérez ‘chutado’ e McLaren ‘à venda’ com a participação de Enrique Bernoldi
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Toscana
Localização Mugello
Pilotos Sebastian Vettel
Equipes Racing Point
Autor Roberto Chinchero