Análise técnica: atualizações da Ferrari na Rússia reveladas após acidente de Vettel

compartilhar
comentários
Análise técnica: atualizações da Ferrari na Rússia reveladas após acidente de Vettel
Por:
, Especialista
Co-autor: Matt Somerfield

Confira os detalhes atualizados do design aerodinâmico da Ferrari que puderam ser vistos com o acidente de Sebastian Vettel no último sábado

Dar uma olhada de perto nos detalhes do design de um carro de Fórmula 1 pode ser um negócio complicado, especialmente em áreas onde as estruturas aerodinâmicas tornam mais fácil de esconder as coisas.

No entanto, em um final de semana em que a Ferrari introduziu algumas pequenas atualizações que ela espera que ajudem a desbloquear mais desempenho de seu carro no futuro, alguns dos melhores aspectos de seu SF1000 foram vistos depois que Sebastian Vettel bateu no treino classificatório.

Leia também:

Com a asa dianteira arrancada de seu carro, ofereceu aos espectadores a chance de achar aspectos de seu bico complexo e área da capa que não eram tão óbvios antes.

A Ferrari havia deixado claro antes do final de semana que as mudanças vistas no SF1000 durante o GP da Rússia seriam pequenas e não eram uma solução total para algumas das falhas mais fundamentais do carro deste ano.

E embora as mudanças em Sochi possam ser mais sobre a compreensão da direção na qual a equipe precisa seguir, o pacote de peças instaladas foi bastante diferente.

Na frente do carro, a Ferrari continua a usar o design do bico mais largo que ostenta desde 2016, com a introdução da ponta do nariz estilo polegar que é usada para atender às restrições regulamentares.

Isso está em contraste com o que a Mercedes fez, que é utilizar uma ponta mais bulbosa e pilares muito estreitos que fazem a transição para um corpo mais esguio, permitindo mais espaço para a solução de 'capa' montada em seu lado inferior.

Ferrari SF90, front wing comparison
Ferrari SF90, front nose under

No entanto, em uma tentativa de usar sua seção central do carro de maneira semelhante, a Ferrari adicionou um arado à sua solução no GP de Singapura na temporada passada. Isso promoveu uma estrutura de fluxo diferente, a fim de alterar o comportamento do carro, talvez colocando um pouco mais de carga no eixo dianteiro ao mesmo tempo.

Ferrari SF1000 nose inlet detail

Ferrari SF1000 nose inlet detail

Photo by: Giorgio Piola

Para a Rússia, o nariz e o arado foram ligeiramente modificados para melhorar o fluxo através do que se tornou entradas ao lado da ponta do polegar.

A borda dianteira do arado agora está ligeiramente mais baixa para ajudar a puxar o fluxo através das entradas (à esquerda), enquanto altera a forma como o fluxo de ar e as pressões associadas também aumentam sob a superfície.

Ferrari SF1000 turning vanes detail
Mercedes W10 front wing

 

Enquanto isso, o uso contínuo da Ferrari dessa combinação de nariz e arado significa que a equipe ainda utiliza uma estrutura complexa de palhetas giratórias que é montada tanto na extremidade traseira do nariz quanto na parte inferior do chassi.

Comparativamente falando, a solução usada pela Mercedes tem sua capa recuada e, como tal, caída na seção ocupada pelas palhetas giratórias do SF1000.

Agora, se não fosse pelo acidente de Vettel durante a classificação, algumas das mudanças nesta região poderiam ter passado despercebidas, já que os danos do acidente tornaram muito mais fácil ver aquela parte do carro que estava no caminhão de recuperação.

Adicionadas à placa de base da parte do chassi das palhetas giratórias estão três fileiras de 'palhetas de dedo tortas', cada uma das quais se arqueia na parte superior para formar uma superfície em forma de L (seta vermelha).

Haas F1 Team VF-19 turning vanes
Red Bull Racing RB 16 front wing comparsion

É uma característica que compartilha alguns pontos em comum com a equipe parceira Haas, que introduziu um arranjo semelhante no GP da Espanha em 2019, enquanto a Red Bull também adicionou uma única palheta no topo de sua capa nesta região.

Ferrari SF1000 rear wing endplate comparison

Ferrari SF1000 rear wing endplate comparison

Photo by: Giorgio Piola

Um novo design da asa traseira também foi instalado na Ferrari no último final de semana e apresenta algumas vertentes do DNA do design da Mercedes.

O recorte traseiro superior da placa final agora apresenta bordas serrilhadas, enquanto a espessura da placa final abaixo foi reduzida para que as batidas de ar ascendente possam ter um papel mais comandante.

Enquanto isso, a seção listrada que fica fora do limite da caixa delimitadora regulamentar agora apresenta apenas dois orifícios totalmente fechados, em vez das seis aberturas que perfuravam aquela seção anteriormente.

A Ferrari parece ter identificado algumas das áreas problemáticas do design do SF1000 e fez algumas mudanças para ajudar no curto prazo, até que atualizações mais robustas possam chegar.

Devemos começar a ver os sinais verdes de progresso durante a segunda metade desta temporada. Mas o verdadeiro trabalho provavelmente será melhorar suas chances para 2021, quando ela implantará seus tokens de desenvolvimento e terá uma nova unidade de energia, combustível e lubrificantes que devem ajudar a restaurar parte da potência que falta em seu pacote atual.

Ferrari SF1000

(Temporada 2020)

Ferrari SF1000

Motor: Ferrari
Combustível: Shell
Pneus: Pirelli

Pilotos:

16 - Charles Leclerc

5 - Sebastian Vettel

Vettel DETONA Ferrari e diz que foi usado como ‘ESCUDEIRO’ para Leclerc no GP da Rússia de F1; veja

PODCAST: Qual é o limite de Max Verstappen na Red Bull?

 

F1: Horner vê possibilidade de Red Bull explorar erros da Mercedes

Artigo anterior

F1: Horner vê possibilidade de Red Bull explorar erros da Mercedes

Próximo artigo

VÍDEO: Vettel detona Ferrari e diz que foi usado como ‘escudeiro’ para Leclerc no GP da Rússia de F1

VÍDEO: Vettel detona Ferrari e diz que foi usado como ‘escudeiro’ para Leclerc no GP da Rússia de F1
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Scuderia Ferrari
Autor Giorgio Piola