Fórmula 1
R
GP de Portugal
30 abr
Próximo evento em
18 dias
06 mai
Próximo evento em
24 dias
20 mai
Próximo evento em
38 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
52 dias
10 jun
Próximo evento em
59 dias
24 jun
Próximo evento em
73 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
80 dias
29 jul
Próximo evento em
108 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
136 dias
02 set
Próximo evento em
143 dias
09 set
Próximo evento em
150 dias
23 set
Próximo evento em
164 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
171 dias
07 out
Próximo evento em
178 dias
21 out
Próximo evento em
192 dias
28 out
Próximo evento em
199 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
244 dias
Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Análise técnica: Entenda como a Mercedes ‘driblou’ restrições de desenvolvimento para 2021

Sabendo que terá um número reduzido de horas de túnel de vento no futuro, equipe começou a focar em 2021 bem antes dos rivais

Análise técnica: Entenda como a Mercedes ‘driblou’ restrições de desenvolvimento para 2021

Uma batalha extremamente importante da F1 começou fora da pista em 2020 e entra em sua fase mais importante quando o relógio passar da meia-noite de 31 de dezembro.

Nesse ponto, os regulamentos de 2021 entrarão em vigor e as equipes poderão realizar o desenvolvimento e trabalhos em túnel de vento com seus projetos de 2022.

Leia também:

Trabalhar na aerodinâmica para a nova era era algo proibido até agora, embora as equipes já tenham visto os regulamentos há algum tempo.

A razão pela qual a FIA restringiu o trabalho de simulação desta forma é que ela não queria dar às equipes com mais recursos uma vantagem sobre as que estão mais abaixo no grid.

Em meio aos desafios da pandemia do novo coronavírus, garantir que não houvesse grande disparidade entre os times com dinheiro e aqueles sem era considerado uma alta prioridade.

Mas, há outras ramificações a serem consideradas também, já que as equipes serão prejudicadas de forma diferente em 2021, com a entrada em vigor do novo sistema de escala móvel da Fórmula 1 para o desenvolvimento aerodinâmico.

Posição no campeonato

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

2021

90%

92.5%

95%

97.5%

100%

102.5%

105%

107.5%

110%

112.5%

2022-2025

70%

75%

80%

85%

90%

95%

100%

105%

110%

115%

A quantidade de tempo de simulação que está disponível para cada equipe agora será administrada por sua posição no campeonato, criando uma curva que deve compensar algumas das diferenças gritantes que as equipes têm em termos de recursos.

Se considerarmos como isso impacta o tempo do túnel de vento em 2021, a referência de 100% no tempo é igual a 80 horas, com 320 sessões e a ocupação do túnel é de 400 horas.

Isso significa que a Mercedes terá 72 horas, 288 sessões e 360 ​​horas de ocupação, enquanto a Williams terá 90 horas, 360 sessões e 450 horas de ocupação.

A escala cresce para um número ainda mais significativo a partir de 2022 também, com o construtor líder sendo permitido apenas 70% do tempo de túnel de vento e limites CFD.

No entanto, há outras nuances no sistema a serem consideradas, já que o ano também é dividido em seis períodos de teste que são então afetados pela posição da equipe no campeonato anterior e no atual, com cada um levado em consideração dependendo do período em questão.

Espera-se que, com o tempo, esse sistema diminua a diferença entre os competidores, mas, como em todo regulamento, haverá maneiras de as equipes encontrarem vantagens.

A Mercedes, sabendo que vai se machucar mais do que qualquer outra equipe no grid com essas mudanças, parece ter abordado a tarefa de uma forma que está fora de compasso com seus concorrentes.

Aparentemente ela acelerou seu trabalho de 2021 no início de 2020, com o desenvolvimento do W11 em 2020 abdicado muito mais cedo do que você normalmente esperaria.

Afinal, o W11 era o carro mais dominante do grid e o mais rápido da história da Fórmula 1, o que deu à Mercedes margem de manobra necessária para interromper o trabalho de atualização mais cedo e concentrar sua atenção em um prazo mais longo.

Para se ter uma ideia de quão cedo ela desligou mudou o foco de 2020, vimos pela última vez um desenvolvimento significativo da Mercedes no GP da Toscana, em setembro. Lá, a equipe apresentou uma nova asa dianteira com uma configuração de flap diferente.

Isso não significa que não tenha desenvolvido o carro desde então, já que sempre há melhorias sendo feitas ao longo de uma temporada. Mas, houve muito pouco em termos de peças aerodinâmicas.

Enquanto isso, no mesmo período, vimos equipes como a Red Bull e a Ferrari, que têm recursos comparáveis, alterar completamente o DNA de seus carros. 

A Ferrari introduziu um design de placa final da asa traseira muito semelhante ao visto no W11.

As mudanças feitas por ambos no final da temporada claramente ajudaram a melhorar sua sorte, mas isso não quer dizer que o trabalho continuará a dar frutos em 2021.

Olhando para o futuro

A conclusão óbvia a tirar aqui é que a Mercedes passou grande parte desta temporada concentrando seus esforços silenciosamente em 2021, abandonando quaisquer ganhos maiores para 2020.

Ela espera que o desenvolvimento inicial de seu carro de 2021 permita que ela gaste uma quantidade boa de tempo em seu projeto de 2022, potencialmente compensando as perdas percentuais que a escala móvel terá, em comparação aos seus rivais.

2021 F1 rules model

2021 F1 rules model

Photo by: Giorgio Piola

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Lucas di Grassi EXPLICA por que Hamilton é tão GENIAL e vê britânico como o melhor da F1 moderna

PODCAST: Quem ou quais foram os maiores fiascos da F1 em 2020?

 

compartilhar
comentários
Renault: F1 caminha para estar na vanguarda do desenvolvimento

Artigo anterior

Renault: F1 caminha para estar na vanguarda do desenvolvimento

Próximo artigo

F1: Chefe da McLaren diz que infraestrutura desatualizada ainda é ponto fraco da equipe

F1: Chefe da McLaren diz que infraestrutura desatualizada ainda é ponto fraco da equipe
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Giorgio Piola