F1: Alonso, Raikkonen e a mudança de geração que eles representam

Grid de 2021 da F1 guarda algumas curiosidades que falam de uma categoria eterna

F1: Alonso, Raikkonen e a mudança de geração que eles representam

Fernando Alonso, 39, retorna à Fórmula 1 em 2021. Ele não será o mais velho, já que Kimi Raikkonen enfrentará sua 19ª temporada na categoria e iniciará o campeonato com 41 anos.

Ambos fizeram a sua estreia na mesma corrida do mesmo ano, no GP da Austrália de 2001, e entre os pilotos dessa prova estavam dois sobrenomes que também vão aparecer no grid de 2021, 20 anos depois: Verstappen e Schumacher.

Leia também:

Alonso e Raikkonen são os únicos que seguem esse rumo de duas décadas atrás, mas enfrentarão os filhos de Jos e Michael, Max e Mick . Os dois já disputaram com o holandês da Red Bull, mas o alemão de 21 anos fará sua estreia na F1 com a Haas nesta temporada.

Se algo acontecesse com Mick ou com seu companheiro de equipe Nikita Mazepin (coronavírus, lesão ou outro tipo de incidente), Pietro Fittipaldi os substituiria, cujo tio, Christian Fittipaldi, também esteve presente no grid no início dos anos 90, com o pai de Verstappen.

E se Raikkonen será o piloto mais velho da categoria em 2021, o mais jovem será o japonês Yuki Tsunoda, que estreará com a AlphaTauri aos 20 anos de idade. O piloto finlandês tem o dobro da idade de Tsunoda, que curiosamente não tinha nem um ano quando Alonso e Kimi disputaram sua primeira corrida, e tinha apenas três anos quando os pilotos alcançaram seu primeiro triunfo na F1.

Assim, em 2021, haverá pilotos nascidos nos anos 70, 80, 90 e 2000, quatro décadas e três gerações, os dos motores V10, V8 e V6, que passaram por uma infinidade de mudanças de regulamentos e até quatro diferentes sistemas de pontuação.

Oito dos 20 pilotos terão menos de 25 anos e se aquele que estreou em 2001 se chamava 'geração Play Station ', o mítico console de videogame está agora em sua quinta geração.

Os citados Raikkonen e Alonso saíram da F1 e voltaram e, pelo menos até hoje, não parece que nenhum deles se aposentará no final do ano que vem. Eles serão os veteranos e, se o coronavírus não reduzir o calendário novamente, terminarão este ano como os dois pilotos com mais corridas da história (neste momento Raikkonen está em primeiro, com 330, e Alonso em terceiro, com 312).

Eles vão dividir o grid com potenciais futuros campeões como Charles Leclerc e Max Verstappen, com jovens talentosos como Lando Norris e George Russell, e outros que, embora não sejam muito menos estreantes, ainda têm 40 anos.

O espanhol retorna em uma versão melhorada e Kimi continuará sendo o protagonista de sua pilotagem e de seu jeito peculiar de ser. 

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

GROSJEAN correrá na INDY em 2021 e GP de F1 em SÃO PAULO pode ser INVESTIGADO em CPI

PODCAST: Bottas reagirá na Mercedes? Como compará-lo a Barrichello, Webber e cia?

 

compartilhar
comentários
F1: Desenvolvimento aerodinâmico deve ser chave em 2021 apesar do regulamento congelado
Artigo anterior

F1: Desenvolvimento aerodinâmico deve ser chave em 2021 apesar do regulamento congelado

Próximo artigo

AlphaTauri é a quarta equipe a confirmar a data de lançamento do carro de 2021 da F1

AlphaTauri é a quarta equipe a confirmar a data de lançamento do carro de 2021 da F1
Carregar comentários