Fórmula 1 GP da Arábia Saudita

F1: Como Aston Martin recuperou pódio de Alonso na Arábia Saudita

Equipe de Silverstone apresentou uma grande defesa em relação à punição do espanhol na Arábia Saudita e a FIA acabou devolvendo o P3 para o bicampeão

Fernando Alonso, Aston Martin F1 Team, provisionally 3rd position, celebrates with his team in Parc Ferme

Após o GP da Arábia Saudita, segunda etapa da temporada 2023 da Fórmula 1, os comissários anunciaram uma penalidade de 10 segundos para Fernando Alonso, que perdeu o pódio e caiu para quarto lugar mesmo ficando cinco segundos à frente de George Russell. Mas a Aston Martin conseguiu entrar com um recurso e voltar o P3 conquistado pelo espanhol. 

A sanção de Alonso ocorreu porque seus mecânicos quebraram a regra de "não trabalhar" no carro durante o cumprimento de uma penalidade, que foi aplicada ao espanhol em seu primeiro pit stop por ter se posicionado mal na largada.

Leia também:

Embora os mecânicos da Aston Martin tenham esperado ainda mais de cinco segundos para começar a trocar os pneus, o macaco traseiro tocou e levantou o carro um pouco antes que a penalidade de cinco segundos expirasse.

Mas, além do fato de o anúncio da FIA ter ocorrido no final da corrida e não durante ela (o que não deu a Alonso a chance de conseguir uma vantagem de 10 segundos), a Aston Martin se agarrou a uma palavra do regulamento, além de outros casos semelhantes em que outras equipes não foram punidas.

Especificamente, a Aston Martin se referiu ao artigo 54.4 em sua seção c) dos Regulamentos Esportivos da FIA de 2023, que diz o seguinte: "c) Enquanto um carro estiver parado no pit lane como resultado de uma penalidade de acordo com os Artigos 54.3a) ou 54.3b) acima, o trabalho não pode ser feito nele até que o carro esteja parado durante a duração do pena."

A Aston Martin defendeu que levantar o carro não é o mesmo que trabalhar nele, e que na verdade, seus mecânicos não trabalharam no carro de Alonso até que a penalidade fosse cumprida, então eles não tiveram vantagem. Além disso, reivindicou um acordo entre a FIA e as equipes para levar em consideração que, de fato, tocar em um carro não é o mesmo que trabalhar nele.

E, finalmente, a equipe trabalhou de forma muito eficaz para encontrar até SETE casos em que outras equipes haviam tocaram seus carros durante uma penalidade e não foram punidas, incluindo a própria Mercedes (que havia desencadeado a investigação da FIA no domingo), que cumpriu a famosa penalidade para Lewis Hamilton na Grã-Bretanha 2021, 10 segundos de stop and go, com os dois macacos tocando o carro.

Com tudo isso, Andy Stevenson, diretor esportivo da Aston Martin, defendeu o caso perante o painel de comissários e quando já era quase uma hora da manhã na Arábia Saudita, a FIA publicou primeiro a sanção, depois o pedido de revisão da equipe e, por fim, a decisão que deu, novamente, a Alonso o 100º pódio. 

Assim, o time de Silverstone também venceu a Mercedes que está vendo como a equipe britânica se tornou a segunda força depois da Red Bull no início de 2023. E, como provou no domingo, ele é tão forte na pista quanto fora dela.

A sentença completa dos comissários da FIA na decisão de devolver o pódio a Alonso em Jeddah

"Os comissários receberam uma carta datada de 19 de março de 2023 da equipe de Fórmula 1 Aston Martin Aramco Cognizant com um 'pedido de revisão' de acordo com o artigo 14.1.1 do Código esportivo internacional (ISC) sobre a decisão deste painel de comissários de impor uma penalidade de 10 segundos ao carro 14 por não cumprir corretamente outra penalidade".

"Em apoio ao pedido de revisão, os delegados receberam as atas da última reunião do SAC
e evidências em vídeo de 7 instâncias diferentes em que outros carros foram tocados enquanto cumpriam uma penalidade semelhante à imposta ao carro 14 sem serem penalizados."

“A declaração clara da equipe foi que a alegada representação de um acordo entre a FIA e as equipes de que tocar o carro de qualquer forma, mesmo com um macaco, constituiria ‘funcionamento’ no carro para efeitos do Artigo 54.4(c) do Regulamento Desportivo, estava incorreta e, portanto, a base da decisão dos comissários estava errada."

"À luz da petição, os comissários tiveram que decidir se havia um elemento 'novo, significativo e relevante' descoberto que não estava disponível para as partes que solicitavam a revisão no momento da decisão. Se houvesse tal(is) elemento(s), então os comissários teriam que considerar se teriam que modificar a decisão de alguma forma."

"Depois de revisar as evidências de vídeo enviadas e ouvir o representante da equipe Aston Martin e membros relevantes da FIA, os comissários determinaram que realmente havia novas evidências significativas e relevantes conforme exigido no Artigo 14.1.1 para desencadear uma revisão da decisão, em particular a evidência de vídeo e a evidência verbal da equipe e da FIA".

"Ficou claro para nós que o substrato da decisão original, ou seja, a representação de
um acordo, foi questionada pelas novas evidências. Assim, foi apreciado o mérito do pedido de revisão."

"Depois de revisar as novas evidências, chegamos à conclusão de que não havia um acordo claro, conforme sugerido aos comissários acima, que pudesse ser considerado para determinar que as partes concordaram que um gato tocando um carro equivaleria a trabalhar no carro. Nas circunstâncias, sentimos que nossa decisão original de impor uma penalidade ao carro 14 deveria ser revertida e o fizemos de acordo."

Prenúncio de APOSENTADORIA? CRISE na Mercedes F1 precede FIM DA LINHA entre Hamilton e Wolff? DEBATE

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #221 - Crise na Mercedes pode significar fim da linha para Hamilton?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Hamilton sente incômodo com aspecto específico da Mercedes de 2023
Próximo artigo F1: Em meio a turbulência, Sainz diz que Ferrari encontrou caminho para melhorar ritmo de corrida

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil