Fórmula 1 GP da Emilia Romagna

F1: Como homenagem planejada por Senna a Ratzenberger emocionou Vettel em Ímola

Alemão fez demonstração de McLaren de brasileiro neste fim de semana na Itália

Sebastian Vettel waves the Austrian and Brazilian flags after driving Ayrton Senna's McLaren MP4/8

Emocionado, Sebastian Vettel disse que agitar a bandeira austríaca durante sua demonstração de Fórmula 1 em Ímola foi uma forma de “terminar o trabalho” do planejado tributo a Ayrton Senna e Roland Ratzenberger.

Este mês marcou o 30º aniversário do acidente fatal de Senna em Ímola, em 1º de maio de 1994, um dia após o austríaco Ratzenberger perder a vida em um acidente.

Leia também:

A morte de Ratzenberger, que se seguiu a um grave acidente nos treinos de Rubens Barrichello, abalou profundamente o piloto da Williams na época.

Nos destroços do carro acidentado de Senna, os fiscais encontraram uma bandeira austríaca que ele pretendia agitar na volta após o GP em homenagem ao piloto da Simtek.

Com a bênção da família Senna, o tetracampeão mundial Vettel organizou uma elaborada homenagem a Senna e Ratzenberger, que incluiu uma demonstração no McLaren MP4/8 de 1993 do brasileiro, que é de propriedade de Vettel.

Agitando as bandeiras brasileira e austríaca durante a demonstração, Vettel disse que era uma forma de “terminar o trabalho” que Senna tinha em mente.

“Obviamente, a bandeira brasileira estava clara, porque era algo que ele fazia depois das corridas”, explicou Vettel.

“Mas eu conheço a mesma história [sobre a bandeira austríaca que Senna preparou]. Estava pensando sobre isso, se é a coisa certa para tentar terminar o trabalho.

“Acho que nunca vai terminar, não se trata de terminar, mas de tentar apenas fazer as pessoas se lembrarem.

"Foi muito especial quando tirei a bandeira e muito especial quando tirei as duas. Foi um fim de semana muito especial e muito significativo para mim."

Sebastian Vettel drives Ayrton Senna's McLaren MP4/8

Sebastian Vettel drives Ayrton Senna's McLaren MP4/8

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Vettel, que se aposentou da F1 no final de 2022 após uma passagem de 15 anos pela BMW, Toro Rosso, Red Bull, Ferrari e Aston Martin, disse que sua homenagem provocou “uma das emoções mais fortes” de sua carreira.

Questionado se a demonstração, que foi recebida com entusiasmo pelo tifosi italianos, o deixou com lágrimas nos olhos, Vettel respondeu: “Sim, definitivamente.

“É difícil colocar em palavras, acho que foi uma das emoções mais fortes que senti ao volante, apesar de estar sozinho na pista e nem mesmo competir.

"Incrível. Quando eu tirei as bandeiras, as pessoas... foi muito poderoso.

“Estou feliz por ter tido coragem de abordar minha ideia e convidar a família Senna. E só recebi feedback positivo.

“A compaixão que ele tinha, a coragem que teve de falar o que pensava. Promovendo a educação, tentando combater a pobreza em seu país.

“Em muitos aspectos, ele estava à frente do jogo como pessoa daquela época, mas também como piloto de corrida, em particular.

“E, portanto, é uma história muito importante e poderosa para compartilhar, especialmente com os jovens pilotos que estão surgindo”.

Verstappen SOFRE no fim mas segura NORRIS e vence em Ímola; debate

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Podcast #282 – Histeria contra Hulkenberg na F1 é justificável?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Ferrari liga alerta após ser superada pela McLaren em Ímola
Próximo artigo F1: "Quebrado", Verstappen reclama das ondulações da pista de Ímola

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil