F1: Haas 'dá o troco' e processa Steiner após publicação de livro

Após ex-chefe entrar com ação contra equipe, empresa controladora de time da F1 ‘dá o troco’

Guenther Steiner, former Haas Team Principal and TV Presenter

Foto de: Sam Bloxham / Motorsport Images

A Haas Automation, empresa-mãe patrocinadora de sua equipe de Fórmula 1, está agora processando o ex-chefe da equipe Gunther Steiner por supostas violações de marca registrada em sua autobiografia “Surviving to Drive”.

Leia também:

Poucos dias depois de se saber que Steiner estava levando a Haas ao tribunal na Carolina do Norte por falta de pagamento de comissões que diz ser devidas, tornou-se conhecido que a Haas lançou a sua própria ação judicial na Califórnia.

Em documentos judiciais apresentados no Distrito Central da Califórnia, Divisão Oeste, a Haas argumenta que Steiner e sua editora Ten Speed Press agiram ilegalmente ao publicar imagens que acredita violarem as regras de marcas registradas.

O documento da Haas alega: “Em 2023, sem permissão ou consentimento da Haas Automation, Steiner criou, comercializou, promoveu, vendeu, distribuiu e lucrou com uma publicação intitulada ‘Surviving to Drive’, que usou ilegalmente e exibiu, e continua a usar e exibir, as marcas registradas da Haas Automation e a imagem comercial da Haas Automation para ganho financeiro pessoal e lucro ilícito de Steiner.

“A Haas Automation nunca consentiu com o uso por parte de Steiner das marcas registradas da Haas Automation ou da imagem comercial da Haas Automation no livro.”

A empresa afirmou que informou Steiner das suas preocupações, mas não recebeu uma resposta satisfatória, o que motivou a ação judicial.

“A Haas Automation notificou Steiner antes do processo, mas até o momento Steiner não tomou nenhuma ação para cessar ou reduzir seus atos infratores, necessitando de um processo instantâneo”, acrescentaram.

“Steiner vende e promove o ‘Produto Acusado’ em vários meios, incluindo, sem limitação, impresso e digital, em violação dos direitos de propriedade intelectual exclusivos da Haas Automation.

“As informações disponíveis online indicam que, em janeiro de 2024, o Produto Acusado excedeu as vendas de pelo menos 150.000 unidades e gerou receitas de pelo menos US$ 4.500.000.”

A Haas está buscando indenização e solicitou ao tribunal um julgamento sobre o assunto.

Os documentos judiciais argumentam que a Haas possui várias marcas registradas federais para seus negócios de máquinas/ferramentas e atividades de automobilismo, e que o livro as expõe – incluindo a capa.

Steiner e Haas se separaram no final do ano passado, depois que seu contrato não foi prorrogado.

Ele estava na equipe desde sua formação em 2016 e se tornou uma figura cult nos círculos da F1 graças às suas aparições na série Netflix: Drive to Survive.

Se a ação judicial da Califórnia for adiante, então a questão principal que provavelmente precisará ser avaliada é se o uso das imagens por Steiner e a Ten Press pode ser considerado uso justo.

O uso justo permite que indivíduos e editores usem marcas registradas de terceiros sem consentimento para diversos fins.

DETALHES da oferta da MERCEDES a Sainz, o PLANO B da Audi e o PRAZO da decisão. 'Retorno' de Bottas?

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Podcast #281 - Vitória muda Norris de patamar na F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Zhou e Bearman devem formar dupla na Haas em 2025, diz site
Próximo artigo F1: Ford conta com trunfo em projeto com Red Bull

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil