Reações
Fórmula 1 GP do Canadá

F1 - Hamilton: Verstappen pode bater meus recordes, mas darei meu melhor para "atrapalhá-lo"

Heptacampeão ainda disse não ter novidades sobre o processo de renovação com a Mercedes

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG, 2nd position, Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, talk on the podium

Neste fim de semana, Max Verstappen pode atingir uma marca importante no Canadá: caso vença, igualará as 41 vitórias de Ayrton Senna na Fórmula 1. E com o momento vivido pela Red Bull, muitos questionam se o holandês poderá buscar a marca centenária de Lewis Hamilton, que disse que fará de tudo nos próximos anos para "atrapalhar" a caça do rival pelo seu recorde.

O britânico chega a uma década com o time de Brackley, uma parceria que o tornou o piloto mais laureado da história da F1, com mais de 100 vitórias e sete títulos, empatando nesta última marca com Michael Schumacher.

Leia também:

Ao ser questionado sobre seu futuro com o time alemão, o inglês prefere deixar o tema passar sem muitos debates. 

"Vi Toto muitas vezes, temos uma boa relação, mas não tenho nada a comentar no momento", disse o heptacampeão que, na sequência, falou sobre seus recordes e a possibilidade de vê-los rivalizados por Max Verstappen.

No momento, o holandês, de apenas 25 anos, tem 40 vitórias e dois títulos, tendo contrato garantido até 2028 no momento em que a Red Bull volta a dominar o esporte. Caso vença neste fim de semana, o bicampeão igualará o total de triunfos de Ayrton Senna, maior ídolo de Hamilton.

"Ele tem uma carreira muito longa pela frente, então absolutamente [pode buscar meus recordes]. No final das contas, as marcas estão aí para serem batidas, e ele está em uma equipe incrível".

"Espero que possamos ter, pelo menos nesse período final da minha carreira, mais disputas próximas".

Hamilton seguiu falando de Verstappen, comparando com outro momento vivido pelo britânico no GP do Canadá, quando igualou a marca de 65 poles de Senna, ganhando de presente da família do piloto brasileiro, um capacete do tricampeão.

"Foi surreal. Ter cinco anos de idade, assistindo com meu pai, o sonho era ser como Ayrton. O sonho era chegar à Fórmula 1 e fazer algo como ele. E aí descobrir que você está igualando-o em termos de resultados, algo injusto porque hoje temos muito mais corridas. Mas ainda assim é uma honra".

"Eles me deram um capacete, o que foi muito legal. Max vem fazendo um trabalho incrível, ele tem uma carreira incrível até aqui e certamente ele vai superar isso. Mas estou dando o meu melhor para colocar o carro no ponto necessário para que possamos atrapalhá-lo".

VÍDEO: Rico Penteado abre o jogo sobre Michael Schumacher

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #234 – Aston, Ferrari ou Mercedes? Quem se garante como segunda força da F1 em 2023?

 
 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1 - Sainz: Problemas da Ferrari vão muito além dos pneus
Próximo artigo F1: Fittipaldi dá a Pérez o mesmo conselho que deu a Senna nos anos 1980

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil