F1: Marko compara Verstappen a Senna e não vê "perigo" da Mercedes em renovação de contrato

Chefão da Red Bull vê semelhanças de holandês com lenda brasileira e acha impossível uma negociação dele com a escuderia alemã após Silverstone

F1: Marko compara Verstappen a Senna e não vê "perigo" da Mercedes em renovação de contrato
Carregar reprodutor de áudio

A Red Bull deve pressionar por uma prorrogação do contrato de Max Verstappen para manter o novo campeão mundial da Fórmula 1 por um longo tempo, sem qualquer ameaça da Mercedes tirá-lo de lá. O holandês recebeu seu troféu da temporada na entrega de prêmios da FIA em Paris na noite da última quinta-feira (16), poucos dias após sua vitória na última volta do GP de Abu Dhabi.

O contrato atual do piloto vai até o final de 2023, e ele disse várias vezes desde seu sucesso no fim de semana que deseja permanecer em seu time atual pelos próximos dez a 15 anos. Membros da escuderia pensam o mesmo e já chegaram a o comparar com Ayrton Senna, caso do conselheiro e chefão Helmut Marko.

Leia também:

Embora não haja pressa para pensar sobre o futuro, o austríaco revelou que planeja iniciar negociações em breve sobre a obtenção de um longo contrato novo.

Em breve, Verstappen visitará a sede da Red Bull em Salzburg e, em seguida, verá o próprio Marko em seu escritório em Graz, onde as discussões podem começar a esclarecer as coisas.

Em entrevista ao site irmão do Motorsport.com na Alemanha, Formel1.de, o dirigente da escuderia revelou que as negociações estarão na agenda com o gerente da Max, Raymond Vermeulen, quando se encontrarem.

"Veremos", disse Marko no vídeo do YouTube. "Vamos discutir e talvez concluir uma prorrogação."

O próprio Verstappen não escondeu o fato de que sente que a Red Bull se tornou uma "família" para ele e vê todos os motivos para permanecer lá.

Formula One World Champion Max Verstappen, Red Bull Racing and Jean Todt, FIA President

Formula One World Champion Max Verstappen, Red Bull Racing and Jean Todt, FIA President

Photo by: FIA

"De fato, me sinto assim. Acho que você também me ouviu rádio, após a corrida, perguntando se eu poderia ficar por mais 10/15 anos", disse ele na festa da FIA. "Estou muito feliz onde estou. E também posso ser eu mesmo, isso também é muito importante. Não se trata apenas da F1: podemos nos divertir e dar boas risadas."

"Acho que isso também é importante. Porque não se trata apenas de desempenho, você também precisa gostar do que está fazendo."

Enquanto um movimento inicial para alongar o contrato de Verstappen garantiria que a rival Mercedes não o pegaria, Marko não acha que há uma chance de o jovem procurar outro lugar no grid da F1.

Ele pensa especialmente que os eventos deste ano, incluindo a colisão entre Max e Lewis Hamilton no GP da Grã-Bretanha, mudaram as coisas para seu piloto.

"Esse perigo não existe", disse Marko sobre as perspectivas de uma oferta pela Mercedes. "Muita coisa foi destruída em Silverstone."

O austríaco ainda disse que Verstappen é de longe o melhor piloto que a Red Bull já teve, e vê paralelos com o brasileiro Ayrton Senna.

"[É] o piloto mais rápido, consistente e agressivo que já tivemos", comentou. "Eles dois são comparáveis ​​em termos de mentalidade, personalidade e agressividade. Temos sorte de ter alguém assim."

Final MANIPULADA? Giaffone OPINA sobre POLÊMICA de Abu Dhabi e analisa CONFUSÕES de MASI na F1 2021

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #152: Qual tamanho do título de Verstappen após derrotar Hamilton?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Sensação da Indy, Pato O'Ward acredita ter dois anos para conseguir vaga na F1
Artigo anterior

Sensação da Indy, Pato O'Ward acredita ter dois anos para conseguir vaga na F1

Próximo artigo

Ex-presidente da FIA acredita que F1 foi muito "branda" com reclamações de equipes

Ex-presidente da FIA acredita que F1 foi muito "branda" com reclamações de equipes