F1 - Marko: Red Bull assume culpa por voltas lentas de Verstappen que custaram a liderança

Mas Christian Horner acredita que, mesmo com a posição de pista, a Ferrari teria ritmo para vencer de qualquer jeito

F1 - Marko: Red Bull assume culpa por voltas lentas de Verstappen que custaram a liderança
Carregar reprodutor de áudio

As voltas lentas de Max Verstappen após sair dos boxes custaram ao campeão de 2021 da Fórmula 1 a chance de executar o undercut perfeito, assumindo a liderança do GP do Bahrein em cima de Charles Leclerc. E segundo o consultor da Red Bull, Helmut Marko, a equipe austríaca assume a culpa pela falha na estratégia.

Verstappen estava em segundo no primeiro stint da corrida, ficando quase quatro segundos atrás de Leclerc antes de parar, na volta 14. O monegasco respondeu fazendo sua troca no giro seguinte, mas o holandês conseguiu reduzir a diferença, criando uma bela batalha roda a roda entre os dois, com a Ferrari levando a melhor.

Leia também:

A história se repetiu na segunda rodada de pits mas, desta vez, Verstappen não conseguiu reduzir toda a vantagem de Leclerc, levando a uma reclamação do holandês no rádio: "Já é a segunda vez que tenho que pegar leve na volta de saída e perco a liderança. Nunca mais faço isso de novo!".

Marko disse ao Motorsport.com que a Red Bull subestimou o poder do undercut, dizendo a Verstappen para gerenciar o ritmo.

"Max foi instruído a tirar o pé nas voltas de saída dos boxes. Se tivesse feito um ritmo normal, teria passado Leclerc. E quando você está na frente, é outra história. Mas nossa degradação de pneu era muito maior que a da Ferrari e a potência do motor deles impressionou. Mas, se Max estivesse na frente de Leclerc, a história seria outra".

Questionado se a volta lenta era um erro da equipe ou do piloto, Marko disse: "Foi uma estratégia nossa. Então foi um erro nosso, não de Max".

No final, Verstappen acabaria abandonando a corrida com três voltas para o fim, após uma falha na bomba de combustível o deixar lento na pista, marcando um início desapontador em sua temporada de defesa do título.

Max Verstappen retired two laps before the end with a fuel pump issue.

Max Verstappen retired two laps before the end with a fuel pump issue.

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Christian Horner, chefe da Red Bull, disse que é preciso um equilíbrio na hora de julgar o quão duro ir no começo de um stint, mas pensa que a Ferrari teria o ritmo para vencer de qualquer jeito.

"O problema é que é sempre um equilíbrio, se você gasta o pneu cedo no stint, você perde mais tarde. Acho que subestimamos o undercut, mas acho que a Ferrari tinha o ritmo hoje para que, mesmo se tivéssemos a posição de pista, eles conseguiriam ultrapassar. Não tivemos esse ritmo hoje".

Verstappen vocalizou ao longo da corrida no Bahrein suas frustrações, reclamando sobre a estratégia antes de falar sobre um problema com seu volante que deixou o carro parecendo um "robô".

"Não seguro nada, digo o que penso no carro e não estava feliz com o que estávamos fazendo ou com o balanço do carro ou a estratégia", disse. "Não foi algo necessariamente direcionado a Gianpiero [Lambiase, seu engenheiro], tenho um ótimo relacionamento com ele".

"Mas claro, ele é o único que eu converso. Temos que analisar várias coisas".

F1 AO VIVO: Ferrari? Red Bull? E a Mercedes? Tudo sobre o GP DO BAHREIN, ABERTURA da F1 2022 | PÓDIO

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast: Saiba os pontos fortes e os pecados da quarta temporada de DRIVE TO SURVIVE

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Imprensa italiana repercute vitória da Ferrari no Bahrein; veja capas
Artigo anterior

F1: Imprensa italiana repercute vitória da Ferrari no Bahrein; veja capas

Próximo artigo

ANÁLISE: As perguntas que seguem no ar após divulgação do relatório do GP de Abu Dhabi de 2021

ANÁLISE: As perguntas que seguem no ar após divulgação do relatório do GP de Abu Dhabi de 2021