Alonso? Ricciardo? Quem substituirá Vettel na Aston Martin em 2023 na F1?

Veja algumas opções para a vaga do tetracampeão mundial na equipe britânica de Silverstone

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR22

Com a recém-anunciada aposentadoria do alemão Sebastian Vettel, da Aston Martin, após a temporada 2022 da Fórmula 1, abre-se uma importante vaga no grid da categoria máxima do automobilismo mundial em 2023.

A confirmação do fim da carreira do tetracampeão mundial na F1 'virou de cabeça para baixo' a silly season -- especulações sobre o mercado de pilotos da categoria -- que projeta o ano que vem, abrindo uma série de possíveis cenários com impacto em vários times.

O editor recomenda:

O mais importante de tudo é que a Aston não tem um plano definitivo para a vaga de Vettel: ao passo que a aposentadoria do alemão sempre foi uma possibilidade, equipe e piloto também discutiam os termos para uma extensão contratual. 

O time de Silverstone obviamente não poderia 'esperar para sempre' por uma decisão, mas Vettel deixou sua intenção clara somente nesta semana, de modo que a busca por um substituto oficialmente começou.

No fim das contas, a decisão é de Lawrence Stroll, mas ele será auxiliado pela diretoria da Aston, incluindo o chefe de equipe Mike Krack, o diretor técnico Andy Green, o diretor esportivo Andy Stevenson e o diretor de performance Tom McCullough.

No outro carro, quem segue como titular é o canadense Lance Stroll, e a decisão sobre seu  futuro companheiro deve levar isso em consideração, numa complexa dinâmica. Isso porque Vettel também servia como uma influência positiva para o filho do dono da escuderia em termos de pilotagem.

Além disso, a Aston é uma montadora, de modo que há preocupações relativas ao marketing. Por exemplo: a escolha por Vettel também ocorreu em função de seu impacto positivo em termos de relações públicas. Lawrence, portanto, pode querer alguém com o mesmo perfil na vaga do alemão. 

Mas por ora e pela lógica, o primeiro nome que vem à mente para o assento é o de Nico Hulkenberg, compatriota de Vettel que já substituiu o tetracampeão e o próprio Lance quando eles ficaram de fora por causa da Covid. Hulk também foi piloto do time na época de Force India, entre 2011 e 2016.

Nico Hulkenberg, Aston Martin

Nico Hulkenberg, Aston Martin

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

O reserva da Aston também deve participar de um teste da Pirelli na Hungria semana que vem, o que daria ainda mais experiência com a equipe a bordo do AMR22. Hulk está disponível e seria fácil contratá-lo por um ano em 2023, deixando opções no horizonte para 2024.

Mas Hulkenberg completará 35 anos em três semanas, sendo somente dois meses mais jovem que Vettel. O alento para Nico, porém, é o fato de que, hoje em dia, os pilotos podem correr na F1 até a casa dos 40 anos de idade, como mostra o espanhol Fernando Alonso, da Alpine.

De todo modo, Hulk deve seguir como opção nas próximas semanas, enquanto o time explora suas opções até decidir o que é melhor, pelo menos para 2023. Mas seria Hulkenberg o nome desejado pela escuderia?

Aliás, o próprio Alonso é uma opção da equipe britânica. Lawrence Stroll estava interessado no espanhol antes de contratar Vettel. Além disso, como Seb, Fernando é um multicampeão mundial que pode agregar extenso conhecimento técnico e o aspecto de marketing útil para a Aston Martin.

Fernando Alonso, Alpine F1 Team, e a namorada Andrea Schlager

Fernando Alonso, Alpine F1 Team, e a namorada Andrea Schlager

Photo by: Carl Bingham / Motorsport Images

Uma saída de Alonso da Alpine também seria interessante para o time francês, que poderia promover o atual reserva, o australiano Oscar Piastri. Entretanto, Alonso assusta alguns na Aston, já que é conhecido pela personalidade difícil e seu 'egoísmo' na F1, o que não seria bom para Lance.

Mas se não Alonso e Hulkenberg, quem? A lista de nomes potenciais que estarão sem contrato em 2023 é curta. O anglo-tailandês Alexander Albon, hoje titular da Williams e piloto do grupo Red Bull, poderia ser uma escolha interessante -- e provavelmente não teria problemas ao lado de Stroll.

Alex Albon, Williams Racing

Alex Albon, Williams Racing

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

O alemão Mick Schumacher, da Haas, tmbém é uma opção, e certamente contaria com a indicação de Vettel, que tem o filho de Michael como pupilo. Além disso, o jovem Schumi seria bom para o marketing... Mas ele fez o suficiente para convencer a Aston? E romperia seu laços com a Ferrari?

Mick Schumacher, Haas F1 team

Mick Schumacher, Haas F1 team

Photo by: Motorsport Images

Outro candidato em potencial é Daniel Ricciardo, embora o australiano teoricamente esteja sob contrato na McLaren. Porém, ele poderia ser liberado em arranjo positivo para todos os envolvidos, com o time de Woking podendo confirmar o norte-americano Colton Herta ou outro piloto. Ricciardo preenche vários requisitos, mas a Aston vai querer alguém que tem sofrido tanto na McLaren e que mostra poucos sinais de sair do buraco no qual atualmente está? 

Daniel Ricciardo, McLaren

Daniel Ricciardo, McLaren

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

E se a Aston não contratar Alonso, não quererá Piastri, já que Lawrence pouco provavelmente gostaria de 'treinar' um talento de outra marca para então vê-lo de volta à Alpine, comandada por Otmar Szafnauer, ex-chefe da Aston Martin.

Outra opção mais jovem é o holandês Nyck de Vries, reserva da Mercedes e campeão de Fórmula E e F2. Além disso, ele fica em stand by para a Aston em GPs nos quais Hulkenberg se ausenta, de modo que há um contato. E o time verde tem dois TLs para usar um novato, podendo acionar Nyck.

Nyck de Vries

Nyck de Vries

Photo by: Carl Bingham / Motorsport Images

Nesse sentido, também é importante ponderar que a Aston usa motores Mercedes, de modo que há várias conexões entre Lawrence Stroll e o chefe das Flechas de Prata, Toto Wolff, o que poderia facilitar um arranjo envolvendo de Vries. 

Além disso, há a possibilidade de a Aston recorrer a pilotos que ainda não tenham experiência na F1, recorrendo a algum nome da F2, por exemplo. E quem lidera o campeonato neste momento é o brasileiro Felipe Drugovich... A ver como o mercado se desenrolado pensando em 2023.

Felipe Drugovich, MP Motorsport

Felipe Drugovich, MP Motorsport

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

TELEMETRIA: RICO PENTEADO analisa quem pode chegar na FRENTE na HUNGRIA

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #187 – Marko está certo ao colocar Verstappen como “a maior história de sucesso da Red Bull”?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Vettel anuncia aposentadoria da F1 no final de 2022
Próximo artigo Hamilton, Leclerc, Schumacher: mundo da Fórmula 1 presta homenagens a Vettel após anúncio de aposentadoria

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil