F1: Russell diz que atitudes após acidente em Ímola foram uma "decisão muito ruim"

O britânico disse ainda que o incidente não afetou sua relação com a Mercedes ou com o dirigente Toto Wolff

F1: Russell diz que atitudes após acidente em Ímola foram uma "decisão muito ruim"

O piloto da Williams George Russell classificou como uma "decisão muito ruim" suas ações ao apontar rapidamente a Valtteri Bottas a culpa por seu acidente no GP da Emilia Romagna de Fórmula 1.

Logo após o acidente, Russell saiu de sua FW43B e foi até a Mercedes de Bottas enquanto o piloto ainda estava no carro, perguntando se o finlandês queria matar os dois e deu um forte tapa no capacete.

Leia também:

Após investigação e ouvir os dois pilotos, os comissários declararam o acidente como de corrida, após os pneus direitos de Russell passarem por uma parte molhada da pista antes da chegada à Tamburello.

Nas coletivas de imprensa antes do GP de Portugal, Russell foi perguntado sobre a reflexão que havia feito após o incidente, com suas acusações a Bottas e, posteriormente, o pedido público de desculpas ao finlandês.

"Tendo uma semana, mesmo apenas uma noite [após a corrida] para deixar a adrenalina baixar e refletindo sobre tudo, acho que o incidente é uma coisa, faz parte da corrida e isso acontece".

"Mas acho que as minhas ações depois não refletem quem eu sou. Eu fui contra meus instintos de simplesmente sair e mostrar pouca emoção. Provavelmente foi uma decisão muito ruim feita no calor do momento".

"E isso levou a algumas coisas a mais naquela tarde. É por isso que senti que era necessário publicar o comunicado na segunda, pedindo desculpa pelas minhas ações. Porque quero liderar pelo exemplo, quero ser um modelo e as ações após o incidente não foram isso".

Marshals clear the damaged car of Valtteri Bottas, Mercedes W12, from the gravel trap

Marshals clear the damaged car of Valtteri Bottas, Mercedes W12, from the gravel trap

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

Quando perguntado se havia conversado com Toto Wolff após o caso, Russell respondeu: "Sim, claro. Toto e eu falamos extensivamente após o acidente. O conteúdo dessa conversa seguirá privado, mas ele foi muito favorável, construtivo".

"Nosso relacionamento não foi danificado após o acidente. O contrário na verdade. E o mesmo vale para todos na Williams".

Russell também destacou seu ritmo promissor e a posição que se encontrava em Ímola antes da batida, dizendo que a Williams deveria estar "orgulhosa de seu progresso" que permitiu "lutar por pontos por mérito".

"A Williams tem me apoiado muito", disse Russell sobre a equipe, cujo companheiro, Nicholas Latifi, também bateu, durante a primeira volta. "Eles querem que eu ataque, busque oportunidades e estamos orgulhosos por estarmos nessa posição".

"Estávamos em décimo, lutando por pontos por mérito. Estivemos na zona de pontos no ano passado, mas por conta de oportunidades ou abandonos de outros. Mas ali estávamos por mérito, buscando uma ultrapassagem".

GP de Portugal, Canadá por Turquia e corridas aos sábados com Rico Penteado | TELEMETRIA

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Oscar das pistas: histórias da F1 que rendem filme

 

compartilhar
comentários
F1: McLaren tem "plano claro" sobre mudança para 2022; disputa com Ferrari não impactará decisão
Artigo anterior

F1: McLaren tem "plano claro" sobre mudança para 2022; disputa com Ferrari não impactará decisão

Próximo artigo

F1: Verstappen diz que não quer “pressão desnecessária” para Red Bull

F1: Verstappen diz que não quer “pressão desnecessária” para Red Bull
Carregar comentários