F1: Entenda como a Mercedes recuperou 22 cavalos de potência no GP da Turquia

Troca de unidade de força de Hamilton o ajudou a recuperar velocidade que estava sendo prejudicada com componente anterior

F1: Entenda como a Mercedes recuperou 22 cavalos de potência no GP da Turquia

Lewis Hamilton largou do 11º lugar no GP da Turquia de Fórmula 1 por ter trocado para parte de sua quarta unidade de potência do ano em Istambul e sofrido punição no grid. No entanto, mostrou superioridade na qualificação, contando com os 22 cavalos que de outra forma teriam sido perdidos com o antigo componente.

Graças a um mapeamento mais agressivo, o heptacampeão mundial foi capaz de oferecer uma configuração aerodinâmica mais carregada sem penalizar as velocidades máximas.

Leia também:

Dettaglio del motore 4 della Mercedes W12

Dettaglio del motore 4 della Mercedes W12

Photo by: Uncredited

De acordo com rumores filtrados pela escuderia, a terceira unidade de força da Mercedes registrou uma perda de potência estimada em 22 cavalos em sua vida útil. Quantidade significativa na briga com a Red Bull, já que, pelo menos no papel, a rival austríaca tem o melhor carro em termos de chassi e aerodinâmica.

Se considerarmos que um motor de combustão interna que já soma a distância de 5000 quilômetros geralmente tem uma queda na potência, que pode variar em uma bifurcação entre 10 e 15 cavalos, parece evidente que uma perda maior foi alarmante para o que poderia se tornar um problema de confiabilidade, visto que a unidade número quatro de Valtteri Bottas só caiu após a estreia em Monza.

James Allison sabe que sem o impulso total do motor é difícil competir com Max Verstappen no campeonato mundial, por isso escolheu instalar um novo componente na Turquia, confiando no excedente de potência que é capaz de dar a partir de zero quilômetro. Não só isso, mas os técnicos de Brixworth liderados por Hywel Thomas aprovaram um seis cilindros capaz de suportar um mapeamento de mais empuxo do que o normal.

A decisão, a julgar pelo resultado do treino classificatório, parece ter sido acertada, pois permitiu à Mercedes decidir por diferentes soluções técnicas entre os dois pilotos. Sabemos que Hamilton gosta de um acerto com uma asa traseira mais pesada do que a que normalmente é usada por Bottas. Já o finlandês prefere ailerons de menor incidência do que os escolhidos pelo britânico.

Valtteri contou em Istambul com um W12 mais leve com o qual levou vantagem sobre a RB16B de Verstappen. Lewis preferiu um carro mais estável na traseira e pôde se dar ao luxo de ter um pouco mais de resistência, contando com um novo motor de combustão interna capaz de fornecer a potência máxima.

Mercedes W12: l'ala anteriore più scarica è stata provata e scarata da Hamilton a Istanbul

Mercedes W12: l'ala anteriore più scarica è stata provata e scarata da Hamilton a Istanbul

Photo by: Giorgio Piola

Nos treinos livres, o heptacampeão também tentou uma asa dianteira mais descarregada para uma única corrida, com o último flap mais arqueado que havia sido visto em Sochi, para assim tentar equilibrar seu carro com uma configuração aerodinâmica mais exaustiva, mas o experimento durou algumas voltas.

Ele imediatamente refez seus passos em busca de um equilíbrio que valeu a pena nas condições climáticas incertas da qualificação (esperava-se uma chuva que nunca chegou), encontrando o acerto que mais lhe deu confiança para começar uma corrida do meio do grid.

A Red Bull cometeu um erro na simulação da corrida turca, mas os três décimos de diferença que emergiram do W12 mostraram que a atual campeã mundial está jogando na partida de motor, que a Honda não consegue reproduzir, evitando quebrar um delicado equilíbrio alcançado sem que a confiabilidade da unidade japonesa seja afetada. O jogo, portanto, permanece em aberto.

F1 2021: Red Bull DESCOBRIU seu PROBLEMA? Mercedes será DESFALCADA? Os DESTAQUES pré-GP dos EUA | RETA FINAL

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #138 – Red Bull não sabe o que fazer contra Mercedes após GP da Turquia?

 

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Podcast #139 - Qual o campeonato da F1 mais emocionante do século?
Artigo anterior

Podcast #139 - Qual o campeonato da F1 mais emocionante do século?

Próximo artigo

F1: Após "amargor", Ricciardo está "em paz" com falta de títulos

F1: Após "amargor", Ricciardo está "em paz" com falta de títulos
Carregar comentários