Sainz: "Disputo a pole pela primeira vez na vida e não posso fazer a volta"

Espanhol diz que poderia ter superado o tempo do companheiro de equipe, Charles Leclerc; bandeira vermelha interrompeu volta rápida

Sainz: "Disputo a pole pela primeira vez na vida e não posso fazer a volta"

Charles Leclerc foi o mais rápido na classificação para o GP de Mônaco de Fórmula 1, disputada neste sábado (22). No entanto, escapou no S da curva da piscina, bateu e causou uma bandeira vermelha que encerrou precocemente o treino e tirou a chance de seus rivais melhorarem suas voltas, incluindo seu companheiro de equipe, Carlos Sainz.

O espanhol teve que se contentar com o quarto lugar, mesmo mostrando um ritmo impressionante durante toda a tarde e acreditando antes da sessão que poderia conquistar a primeira colocação.

Leia também:

“Muito decepcionado para ser honesto”, disse o piloto. “É uma coisa difícil de aceitar, de digerir. Não é como se eu tivesse a oportunidade de fazer a pole em Mônaco todos os dias, hoje eu definitivamente tinha ritmo para isso e nem tive a chance, devido às circunstâncias. Você pode imaginar que é um dia muito frustrante para mim. ”

Questionado sobre o quão rápida sua última volta teria sido, Sainz reafirmou que podia sim marcar o melhor tempo, apesar de ter perdido alguns milésimos atrás de Sergio Pérez no início.

“Na primeira tentativa, perdi dois ou três décimos no último setor em comparação com a minha melhor volta, então sabia que viria um 1:10.2 ou 10.1 com a evolução da pista. Tive muito tráfego no início da segunda, encontrei o Perez na Curva 1, que não saiu do caminho, e já perdi um décimo."

“Eu estava vindo muito rápido, estava recuperando aquele tempo perdido, mas vi a bandeira amarela na Curva 13 e tive que abortar", completou.

“Estou começando em quarto, não é nem perto do que queria. Fui para a qualificação pensando que uma pole position e uma vitória seriam possíveis e agora estou muito longe de onde eu acho que poderia estar.”

Carlos Sainz Jr., Ferrari SF21

Carlos Sainz Jr., Ferrari SF21

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Sainz acrescentou que não ficou chateado com seu companheiro de equipe, responsável pela bandeira vermelha que interrompeu a sessão.

“Não posso ficar bravo com Charles. Estamos todos aqui no limite, acelerando esses carros como você não pode imaginar, passando perto de paredes em quase todos os cantos. São os bólidos mais rápidos da história e essas coisas podem acontecer."

“Estou muito chateado é com as circunstâncias, que não me deram a oportunidade quando disputo a pole pela primeira vez na minha vida. Em Mônaco, pela Ferrari. E eu nem consegui a chance de fazer a volta. ”

Apesar da decepção, o espanhol ressaltou que seu desempenho no fim de semana foi positivo: “Tenho certeza que quando eu olhar para trás, de cabeça fria, ficarei muito mais feliz. É minha quinta corrida com a equipe, em uma pista como essa, e tenho pressionado um dos caras mais rápidos contra quem já pilotei, que é Charles. Acho que fui mais rápido em muitos pontos durante os treinos."

“Ter essa sensação tão cedo na temporada em uma pista tão difícil é algo para se orgulhar, porque não é como se os outros pilotos que estão em equipes novas estivessem se dando bem por aqui. Tenho que estar feliz, mas meu cérebro agora não está, porque ao menos a dobradinha era possível."

F1 2021: FERRARI quebra JEJUM e Leclerc faz pole POLÊMICA em Mônaco; Hamilton é SÓ 7º no grid | Q4

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Rico Penteado decifra o que deve acontecer no GP de Mônaco

 

compartilhar
comentários
F1: Sétimo colocado, Hamilton terá "discussão séria" com Mercedes

Artigo anterior

F1: Sétimo colocado, Hamilton terá "discussão séria" com Mercedes

Próximo artigo

Max Wilson perde pai por Covid-19 e colegas o homenageiam em tranmissão

Max Wilson perde pai por Covid-19 e colegas o homenageiam em tranmissão
Carregar comentários