Vasseur: Sauber receberia Raikkonen de braços abertos

Frederic Vasseur disse que seria bom ter um campeão mundial como Kimi Raikkonen na Sauber, mas alertou que o importante na tomada de decisões de seus pilotos para 2019 será o desempenho

Vasseur: Sauber receberia Raikkonen de braços abertos

Os rumores de que Charles Leclerc vai para a Ferrari na temporada 2019 da Fórmula 1 tomaram mais força, e algumas pessoas começaram a sugerir que Kimi Raikkonen poderia ir para a Sauber para uma última temporada no Grande Circo.

Rumores sugerem que a Ferrari tem o direito de nomear um dos dois pilotos da equipe, que está no primeiro ano de sua parceria com a Alfa Romeo.

O atual terceiro piloto da Sauber, Antonio Giovinazzi, afiliado à Ferrari desde 2016, seria o candidato óbvio a assumir o assento em questão, já que nenhum outro piloto do programa de desenvolvimento da equipe de Maranello está adequadamente qualificado.

No entanto, há sugestões de que a vaga poderia ser alocada para Raikkonen como parte de um pacote que manteria o finlandês dentro da família Ferrari, caso ele deseje continuar sua carreira em 2019.

Leia também:

Quando perguntado se colocar um ex-campeão mundial no carro colocaria muita pressão sobre a equipe suíça, Frederic Vasseur, chefe da Sauber F1, disse que tudo o que importava era a capacidade do piloto.

"É um problema para os ricos?", perguntou. "Eu não me importo, eu quero ter os melhores pilotos no carro, isso é o mais importante para a equipe, para que não exista um sacrifício no rendimento, É muito melhor ter um campeão mundial do que alguém que não ganhou nada."

"Estou apenas focado no rendimento. O mais importante para mim é ter o melhor alinhamento para o próximo ano e para o futuro, essa é a minha única preocupação", acrescentou.

Vasseur disse a feliz coincidência de relacionamento anterior de Raikkonen na Sauber não teria nada a ver com qualquer decisão, e tomar a decisão não seria influenciado por relacionamentos com os pilotos que conhece desde seus próprios programas para jovens.

"Essa não seria a abordagem correta. É importante ter uma abordagem comum e não porque 15 anos atrás eu tive um piloto que correu na F3, ou pilotou na Sauber há dez anos, vamos tomar a decisão”.

Giovinazzi segue sendo o candidato lógico para substituir Leclerc, e Vasseur admitiu que o italiano teria uma grande chance.

"Ele provavelmente está na lista. Vamos fazer alguns primeiros treinos livres juntos e, provavelmente, seja a melhor maneira de conhecer e entender uns aos outros. Nós fizemos a mesma coisa no ano passado com Charles e foi um bom primeiro passo na colaboração."

Vasseur minimizou o papel da Ferrari na escolha dos pilotos: "Vamos discutir com a Ferrari, não é uma questão de direitos, mas vamos falar sobre isso".

Confira o guia do circuito do GP da Alemanha

compartilhar
comentários
Verstappen: "Quarto era o melhor que poderíamos ter feito"
Artigo anterior

Verstappen: "Quarto era o melhor que poderíamos ter feito"

Próximo artigo

Ricciardo quer assinar com Red Bull no início desta semana

Ricciardo quer assinar com Red Bull no início desta semana
Carregar comentários