Últimas notícias

Wolff afirma que "surpresas" atrasam negociação de novo contrato com Hamilton

Em entrevista à imprensa austríaca, o chefe da Mercedes ainda revelou que testou positivo para Covid-19, mas sem apresentar sintomas

Toto Wolff, Executive Director (Business), Mercedes AMG, and Lewis Hamilton, Mercedes-AMG F1

A Mercedes segue envolvida com a novela da renovação de Lewis Hamilton para a temporada 2021 da Fórmula 1 (e possivelmente além). O chefe da equipe, Toto Wolff, afirmou em entrevista no último final de semana que o atraso na finalização do novo contrato se deu por algumas "surpresas" que apareceram pelo caminho, mas não tem dúvidas de que tudo será resolvido.

Desde o final da temporada passada, quando Hamilton mudou o tom do discurso sobre a renovação, querendo resolver tudo "antes do Natal", começaram a surgir rumores sobre possíveis impasses na negociação, mas o chefe da Mercedes mantém a calma sobre o caso.

Leia também:

Segundo Wolff, as discussões foram complicadas pelo fato de que ele e Hamilton não conseguiram se reunir presencialmente para discutir os termos, o que tornou a negociação mais lenta.

Em entrevista ao canal austríaco ORF, Wolff disse: "Os advogados estão dando o seu melhor. Não deixamos a vida deles fácil, logicamente. Estamos os dois falando pelo Zoom e mandando surpresas para os advogados. Agora ele está nos Estados Unidos e eu aqui. Em algum momento vamos finalizar isso".

Wolff disse que enquanto a logísticas desacelerou o processo, ele não vê nenhum obstáculo que impedirá a assinatura do contrato.

"Negociações são assim", explicou. "São duas partes em situações distintas, mas isso é normal. Nosso relacionamento tem uma base sólida. Celebramos um grande sucesso juntos e queremos seguir com isso no futuro".

"Mas, de vez em quando, precisamos falar a fundo sobre alguns detalhes, e isso gasta tempo. Mas, no máximo até o Bahrein, precisamos fechar alguma coisa".

Wolff também deixou claro que a boa performance de George Russell no GP de Sakhir, substituindo Hamilton, não foi usado na negociação para ganhar vantagem em cima do heptacampeão.

"Nunca usamos a carta de George Russell. Ele foi muito bem e um dia estará em um carro de ponta, mas nossa parceria de muitos anos não foi formada em cima de gestos ameaçadores. Ambos sabemos que queremos correr juntos. E agora precisamos negociar o contrato".

Wolff revelou ainda que acabou ficando fora de ação por um período recentemente porque testou positivo para Covid-19, passando por um período de isolamento na Áustria".

Falando no último final de semana durante a corrida de ski downhill em Kitzbuhel, ele disse: "Planejávamos ficar aqui apenas por alguns dias. E, do nada, eu testei positivo para Covid. Agora estamos aqui há dez dias".

"Mas tudo está bem. Não tive sintomas, graças a Deus. Poderia ter sido pior, mas já estamos fora do período de quarentena".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

A dois meses da F1 2021, novela de Hamilton com Mercedes tem novos capítulos

PODCAST: Chico Serra esclarece rivalidade com Piquet, amizade com Senna e briga com Raul Boesel

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Marko vê Ferrari "de volta" em 2021, mas sem ameaçar Red Bull: "Fizemos o necessário para eliminar as fraquezas da equipe"
Próximo artigo Sainz espera replicar com Leclerc bom relacionamento que teve com Norris

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil