Wolff: tensão entre pilotos pode nos forçar a trocá-los

Em entrevista ao MOTORSPORT.COM, chefe da Mercedes considera substituir um de seus pilotos para ter clima melhor no time

Wolff: tensão entre pilotos pode nos forçar a trocá-los
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 on the drivers parade
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W06
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W06
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W06
Second place Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 Team and race winner Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 Team
Second place Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 Team
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 Team and Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 Team
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W06
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W06
Race winner Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W06
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 Team

O austríaco Toto Wolff, apesar de ter conquistado os dois últimos títulos de pilotos e construtores, disse que consideraria trocar ou Hamilton ou Rosberg para melhorar o ambiente dentro da equipe, que tem sido afetado pela briga interna desde meados de 2014.

"Temos dificuldade às vezes para vencer corridas no domingo e temos sempre um piloto chateado", disse Wolff em entrevista exclusiva ao MOTORSPORT.COM.

"E este sentimento transborda para a equipe. É algo que precisa parar."

Este comentário vem após nova polêmica em Abu Dhabi, quando houve controvérsia sobre estratégias e desacordo sobre instruções de rádio com Lewis Hamilton.

Mudança de pilotos

Wolff está bem ciente de que ter dois pilotos número um sempre irá exigir gestão, mas ele sugeriu que o que aconteceu nesta temporada não é bom o suficiente.

"Nós tomamos a decisão de ter dois pilotos equilibrados, a fim de tornar o progresso da equipe mais rápido e melhor", disse ele. "Foi uma decisão muito consciente, há três anos.”

"Daqui para frente, vamos considerar o que é o melhor para a equipe. Personalidade e caráter internamente são ingredientes cruciais para o sucesso.”

"Se sentir que algo não está alinhado com o consenso geral, o espírito e a filosofia dentro da equipe, podemos considerar tomar uma decisão a respeito da dupla de pilotos."

Questionado para esclarecer se isso significaria ter uma mudança de filosofia dentro da equipe para ter um piloto número um e outro número dois em vez disso, Wolff disse: "eu acho que é importante ter pilotos talentosos e rápidos no carro. Mas nós queremos trabalhar com caras legais."

O contrato de Rosberg vai até o final de 2016, embora ele possa ser prorrogado. Hamilton assinou uma extensão de três anos no início deste ano para permanecer na equipe até o final de 2018.

No entanto, se as relações ficarem tensas e a equipe ficar descontente com o que está acontecendo, então é possível que as decisões possam ser tomadas mais cedo.

Maior fraqueza

Wolff disse que muitas coisas têm acontecido internamente nesta temporada, algo que não o deixa feliz. Ele sugeriu que a questão não está apenas relacionada com as tensões entre Rosberg e Hamilton. Segundo ele, o comportamento dos pilotos tem deixado mais tensa a relação entre os membros da equipe.

"Há muita coisa acontecendo a portas fechadas", disse ele. "Eu sinto que a equipe está mais forte do que nunca. Nós estamos compartilhando de uma grande unidade internamente, mas a difícil relação dos pilotos é um dos nossos pontos fracos. Isso não é bom.”

"Se eu fosse analisar quais são os maiores pontos fortes e a maior fraqueza da equipe, eu diria que a maior força é a qualidade, os caráteres e as personalidades dentro da equipe.”

"A maior fraqueza é a dinâmica da relação entre os pilotos – e, às vezes, entre os pilotos e a equipe"

compartilhar
comentários
GP de F1 no Azerbaijão terá apenas 28 mil ingressos à venda
Artigo anterior

GP de F1 no Azerbaijão terá apenas 28 mil ingressos à venda

Próximo artigo

Massa entra no espírito natalino e faz graça com Felipinho

Massa entra no espírito natalino e faz graça com Felipinho
Carregar comentários