Vergne pede à Fórmula E para "nunca voltar" a Valência

Tradicional palco da pré-temporada, a F-E disputará pela primeira vez uma etapa no Circuito Ricardo Tormo neste fim de semana

Vergne pede à Fórmula E para "nunca voltar" a Valência

Neste final de semana, o Circuito Ricardo Tormo, em Valência, receberá pela primeira vez o ePrix da Espanha de Fórmula E, após ser o tradicional palco da pré-temporada. Mas antes mesmo do início das atividades da rodada dupla, o bicampeão Jean-Éric Vergne já pediu à categoria para que "nunca retorne" à Valência.

A adição da rodada dupla em Valência se deu por conta do impacto da pandemia ao calendário da F-E, com o cancelamento de etapas em Sanya, Santiago, Marraquexe e mais.

Leia também:

Esse será o segundo circuito permanente que a categoria correrá em sua história, apesar da F-E considerar o Autódromo Hermanos Rodriguez, no México, como uma pista adaptada.

Apesar de uma chicane artificar ter sido adicionada ao final da reta em Valência para aumentar as oportunidades de frenagem de regeneração de energia, os pilotos esperam ter que recuperar cerca de 10% a mais de energia por corrida em comparação a um típico circuito de rua.

Vergne, que venceu a primeira corrida em Roma há duas semanas, pediu para a F-E nunca mais usar o local, apesar de gostar da pista de Valência e suas experiências no local nas categorias de acesso.

Ele disse ao Motorsport.com: "Se você me perguntar sobre a pista, ela tem um lugar especial no meu coração. Corro aqui desde a GP3".

"É uma boa pista, mas absolutamente errada para a Fórmula E. Mas é o que temos com a Covid dificultando nossa ida a circuitos nas cidades. Temos que nos considerar felizes pela chance de correr em qualquer lugar".

"Mas, claramente, desejo que nunca voltemos a esse circuito. Não porque não gosto, mas porque não é certo para a Fórmula E".

Similarmente, o piloto da Audi, Lucas di Grassi, reconheceu que a F-E se daria bem ao evitar o uso de pista similares de alta velocidade como o palco da pré-temporada, ou seriam necessárias alterações ao carro.

"Não acho que devemos correr em muitas pistas como essa, ou teríamos que modificar o carro. Ele não foi feito para este tipo de pista".

Devido ao tipo de curvas, a alocação de pneus para Valência foi aumentado de quatro a seis jogos dos compostos da Michelin. Adicionalmente, na falta de muros para definir os limites da pista, a FIA irá supervisionar e deletar tempos de volta por violações nas curvas um, dois, seis e 12.

Após o ePrix de Mônaco, em 08 de maio, a F-E correrá em mais um circuito permanente, no Autódromo Miguel E. Abed próximo à cidade mexicana de Puebla, no lugar do Hermanos Rodriguez, que está sendo usado como hospital de campanha durante a pandemia.

Ex-companheiro de SENNA POLEMIZA sobre o que Ayrton acharia da F1 atual em ÍMOLA e cita RATZENBERGER

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Por que temporada de 2021 promete ser a mais equilibrada dos últimos anos?

 

compartilhar
comentários

Related video

F1: Conheça a história de Julian Jakobi, empresário que gerenciou as carreiras de Senna e Prost simultaneamente

Artigo anterior

F1: Conheça a história de Julian Jakobi, empresário que gerenciou as carreiras de Senna e Prost simultaneamente

Próximo artigo

F-E: Di Grassi sugere à FIA que sistema de modo ataque ajude no policiamento dos limites de pista em Valência

F-E: Di Grassi sugere à FIA que sistema de modo ataque ajude no policiamento dos limites de pista em Valência
Carregar comentários