Pilotos da Indy dizem que 'escudo' é caminho a seguir

Will Power, James Hinchcliffe, Charlie Kimball e Max Chilton acreditam que novo conceito de proteção de cockpit deve servir de inspiração para a Indy

Pilotos da Indy dizem que 'escudo' é caminho a seguir
James Hinchcliffe, Schmidt Peterson Motorsports Honda
James Hinchcliffe, Schmidt Peterson Motorsports Honda
Ed Jones, Dale Coyne Racing Honda wearing Walter Payton tribute helmet
Charlie Kimball, Chip Ganassi Racing Honda
FIA shield

Na próxima semana, em Silverstone, a Fórmula 1 deve realizar o primeiro teste de pista com o 'escudo', nova solução para proteger a cabeça dos pilotos no cockpit. Na Indy, o conceito é visto como o caminho a seguir.

No sábado, o presidente de competições e operações da categoria, Jay Frye, disse ao Motorsport.com que uma das duas soluções para proteger o cockpit em 2018/2019 é muito similar ao 'escudo'. Alguns pilotos da Indy se manifestaram sobre o tema e aprovam a idea apresentada pela F1.

“Parece o caminho certo para nós, definitivamente. Se o teste mostrar que o conceito funciona em termos de visibilidade para o piloto, não haverá motivos para não instalar isso nos carros. Creio que é algo que precisamos ter", disse Will Power ao Motorsport.com.

James Hinchcliffe concordou com o colega de grid e acrescentou: “Acredito fortemente que é o futuro. Desde quando nos foram mostrados os primeiros esboços de algo similar em um carro da Indy, creio que todos gostamos."

“Creio que é uma solução muito boa e o caminho a seguir. Se isso já existisse, poderia ter evitado a concussão que sofri em 2014, quando um pedaço de asa atingiu minha cabeça", afirmou.

Charlie Kimball e Max Chilton, da Ganassi, também se mostraram entusiasmados com o escudo.

“Isso parece ser sobre fazer a coisa certa. A parte complicada será em lugares como Iowa, Texas e até mesmo Pocono - pistas onduladas, nas quais precisaremos nos certificar de que não haja muita diferença de visualização ao olhar através do 'escudo' ou não", disse Kimball.

“Creio que a Indy deve seguir este caminho, é o melhor para nós - ainda seremos uma categoria de cockpit aberto, mas com aerodinâmica melhor e uma proteção adicional para a cabeça."

Chilton ressalta a importância da redução de riscos com a introdução do 'escudo', mas reconhece que nem sempre a peça pode ser eficiente.

“Gostei assim que vi pela primeira vez. Não é algo que vai nos salvar de tudo - como o acidente de (Josef) Newgarden no Texas, ano passado. Entretanto, vai reduzir os riscos de nos machucarmos em uma situação como a do acidente de Henry Surtees, vai impedir que detritos atinjam diretamente nossas cabeças, o que é importante."

“Vamos aguardar e ver o que será dito por quem teste isso, não queremos que visão seja muito afetada. Se alguém disse que isso afetará a visão na base de cinco por cento mas melhora a segurança muito mais, então esse será o caminho a seguir. Não é isso?"

"Outra coisa que eu estava pensando é que isso irá empurrar a tecnologia de como manter o vidro limpo, fazê-lo repelir a água e assim por diante. Essa é definitivamente a melhor solução que eu vi para carros monopostos.", completou Chilton.

 

compartilhar
comentários
Castroneves encerra jejum de três anos e vence em Iowa

Artigo anterior

Castroneves encerra jejum de três anos e vence em Iowa

Próximo artigo

Castroneves comemora: "É exatamente como na primeira vez"

Castroneves comemora: "É exatamente como na primeira vez"
Carregar comentários