MotoGP: Márquez diz que "não entende" bom ritmo que tem em Portugal

Hexacampeão da principal categoria da motovelocidade avalia volta como melhor do que o esperado

MotoGP: Márquez diz que "não entende" bom ritmo que tem em Portugal

Marc Márquez admitiu que 'não entende' porque estava tão forte em seu regresso à MotoGP nos treinos do GP de Portugal, 265 dias depois de correr com a sua Honda pela última vez.

O hexacampeão fez seu tão esperado retorno nesta sexta-feira no Circuito Internacional do Algarve, depois de ter ficado de fora da temporada de 2020 depois de fraturar gravemente o braço direito no GP da Espanha, na abertura da temporada em Jerez.

Leia também:

Terceiro mais rápido em pista seca no TL1, Márquez garantiu uma vaga provisória no Q2 depois de terminar o TL2 em sexto lugar, com uma volta a apenas 0s473 da Ducati de Francesco Bagnaia.

Márquez explicou que seu braço estava "cansado" no TL2, mas enquanto sua condição física permanece um ponto de interrogação para o futuro, ele disse que foi "melhor do que o esperado".

"Foi um grande dia, uma grande sensação e, honestamente, saí na primeira oportunidade, a pista não estava muito boa, mas imediatamente me senti bem com a moto", disse ele. “De manhã, em termos de sensações, estava melhor do que à tarde. O braço estava fresco e tinha força.”

“Aí já à tarde tive um pouco de dificuldades e comecei a sentir que o braço estava um pouco mais cansado. Fora isso, estamos em uma situação muito melhor do que esperávamos antes do fim de semana.”

“Não sei como, porque não entendo o que está acontecendo. Só estou andando de moto, tentando seguir meu caminho.”

"Os tempos de volta estão chegando, não é a coisa mais importante, mas eles estão vindo no bom caminho. Mas é verdade que a principal dúvida para mim - a velocidade está lá - é sobre como o braço vai reagir durante o fim de semana quando eu acordar amanhã."

A última volta de Márquez no TL2 com pneus macios foi espetacular, com o piloto da Honda salvando um grande momento no caminho para a curva 8.

Quando questionado pelo Motorsport.com para explicar aquele momento, Márquez disse: "A última volta foi um pouco maluca, não gostei, mas fiz uma boa defesa.”

“Mas é o meu estilo de pilotagem, não sei. É verdade que com o pneu novo que estava lutando um pouco mais do que com o usado. No pneu usado a moto fica mais macia e eu me sinta muito mais confortável.”

"Mas com pneus novos tudo é mais duro, e especificamente naquela curva - acho que foram as curvas 6 e 7, aquela mudança de direção - minha cabeça dizia que era hora de entrar na curva 7, mas o corpo não seguiu o que eu queria.”

“Eu deslizei um pouco, foi uma salvada, mas criei o slide para terminar a curva porque era a última volta e eu não desisti da volta."

Márquez acrescentou que ainda não tem um objetivo em mente para a corrida de domingo, já que tudo vai depender de como seu braço vai reagir no resto do fim de semana.

F1 2021: Brilho da Mercedes, preocupação da Red Bull e acidente de Leclerc em Ímola | SEXTA-LIVRE

PODCAST: TELEMETRIA: A verdade sobre motor Honda e tudo sobre o GP da F1 em Ímola

 

compartilhar
comentários
MotoGP: Rossi diz que Márquez voltou tão rápido como antes de queda

Artigo anterior

MotoGP: Rossi diz que Márquez voltou tão rápido como antes de queda

Próximo artigo

MotoGP: Martín sofre forte acidente no TL3 em Portugal, liderado por Quartararo; Márquez disputará Q1

MotoGP: Martín sofre forte acidente no TL3 em Portugal, liderado por Quartararo; Márquez disputará Q1
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Evento GP de Portugal
Pilotos Marc Marquez
Equipes Repsol Honda Team
Autor Lewis Duncan