Webber crê que domínio da Porsche “pode acabar” em 2016

Atual campeão do Mundial de Endurance ao lado de Brendon Hartley e Timo Bernhard, australiano reconhece que vantagem exibida pela Porsche em 2015 pode chegar ao fim neste ano com os novos carros de Audi e Toyota

Webber crê que domínio da Porsche “pode acabar” em 2016
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
#1 Porsche Team Porsche 919 Hybrid: Timo Bernhard, Mark Webber, Brendon Hartley
Carregar reprodutor de áudio

Se em 2015 o Mundial de Endurance viu a Porsche dominar o campeonato na classe LMP1, especialmente em Le Mans até o final, 2016 deve ser diferente. Pelo menos esta é a opinião de Mark Webber, atual campeão da classe ao lado dos parceiros Brendon Hartley e Timo Bernhard.

Na véspera do Prólogo, nome dado ao conjunto de dois dias de testes oficiais do WEC no circuito de Paul Ricard, Webber conversou com o Motorsport.com e disse que a Porsche estará na briga pelo título novamente com o novo 919 Hybrid, mas o australiano espera uma competição acirrada com Audi e Toyota, que apresentaram carros completamente novos para este ano.

“Minhas expectativas são muito altas - baseadas, obviamente, na ótima temporada que tivemos no ano passado. Temos um conceito muito estável, o que quer dizer que já sabemos o que esperar de nosso carro. E claro, queremos outra vitória em Le Mans e o título, então nossa meta é alta", disse.

“Ao mesmo tempo, sabemos que a concorrência será forte, pois eles vêm com carros novos. Isso é fantástico para o campeonato, pois houve momentos no ano passado em que nossa vantagem era considerável. Creio que esse domínio pode acabar, mas estamos confiantes e seremos fortes", afirmou. 

O australiano admitiu que está, assim como todos, ansioso para ver os carros andando na mesma pista a partir de sexta-feira, quando o Prólogo terá início, já que ainda não se sabe o potencial de cada uma das fabricantes na LMP1. 

“Ainda não vi nenhum dos outros carros, não os vi andando na pista. Então não sei como eles estão. Mas é de se imaginar que, se eles fizeram carros completamente novos, devem ser mais rápidos", disse.

Vitória em Le Mans não é obssessão

Na temporada, Webber não conseguiu vencer as 24 Horas de Le Mans - o triunfo ficou com a equipe de Stuttgart, mas os vencedores foram Nico Hülkenberg, Nick Tandy e Earl Bamber. Apesar de admitir que gostaria muito de conquistar a vitória, o australiano não tem obsessão pela prova em La Sarthe.

Sim, seria ótimo vencer com a Porsche, sem dúvida. Mas não pilotarei pelos próximos 15 anos tendo isso como único objetivo. Não é o tipo de coisa que tira o meu sono. Estou muito satisfeito por trabalhar ao lado de Timo e Brendon e com a Porsche. Amo pilotar os carros deles e ainda me sinto bem pilotando, essas são as coisas que realmente importam", disse.

“Independentemente da pista, gosto do que faço. Le Mans é uma corrida especial e você precisa de uma certa dose de sorte para se dar bem lá. Mas vamos ver como nos sairemos nas duas primeiras etapas e então colocaremos nosso foco em Le Mans", completou.

compartilhar
comentários
Toyota apresenta TS050 e fala em voltar a brigar por vitórias
Artigo anterior

Toyota apresenta TS050 e fala em voltar a brigar por vitórias

Próximo artigo

Exclusivo: Nelsinho fala sobre primeiro teste com Rebellion

Exclusivo: Nelsinho fala sobre primeiro teste com Rebellion
Carregar comentários