ANÁLISE F1: O quão 'Red Bull' ficará a Ferrari com atualização de Ímola?

As mudanças que o SF-24 terá a partir de Ímola vão muito além do que foi possível ver nos testes de Fiorano

Carlos Sainz, Ferrari SF-24

Foto de: Davide Cavazza

A análise dos dados está em andamento: os engenheiros da Ferrari na Fórmula 1 estão avaliando as informações coletadas durante os dias de filmagem em Fiorano, onde o SF-24 equipado com o primeiro pacote de desenvolvimento aerodinâmico foi montado durante os 200 quilômetros em que Charles Leclerc e Carlos Sainz se revezaram ao volante, alternando entre tomadas comerciais para os patrocinadores e corridas para entender o comportamento real do carro vermelho na pista, tendo em vista sua estreia marcada para o próximo fim de semana em Ímola.

A atenção dos engenheiros se concentrou principalmente na única curva rápida que caracteriza o traçado de 3km de Fiorano, e os comentários de Leclerc sobre o comportamento do SF-24 Evo naquele momento foram importantes: não são apenas os números que foram lidos no túnel de vento e no simulador, mas também o feedback dos pilotos sobre o comportamento do carro.

Leia também:
Carlos Sainz, Ferrari SF-24

Carlos Sainz, Ferrari SF-24

Foto de: Davide Cavazza

Embora Vasseur tenha tentado reduzir a pressão sobre a evolução, está cada vez mais claro que, em Maranello, eles esperam ter dado um grande salto para melhorar a capacidade do SF-24 em curvas rápidas.

Não deve ser surpresa, portanto, que em um carro que começou bem e foi muito consistente nos primeiros seis GPs da temporada, tenha sido feita uma mudança drástica na estratégia aerodinâmica.

As influências da Red Bull dos engenheiros que chegaram de Milton Keynes no início do ano inspiraram alguns dos conceitos do SF-24 Evo, que mudou mais do que já pode ser visto claramente em seu exterior, com o aparecimento da viseira na frente das entradas do radiador no lugar da "bandeja" que estava lá anteriormente.

Mas, em geral, a Ferrari agora tem uma lateral que é mais parecida com o conceito do RB20, com uma parte inferior da carroceria muito mais vazada e um corte inferior muito mais pronunciado do sidepod, com mais fluxo de ar para o difusor.

Il

O "duto de passagem" que evoluiu do SF-23 (direita) para o SF-24 (esquerda) parece ter desaparecido no Evo vermelho

Foto de: Giorgio Piola

É evidente como as influências da fluidodinâmica inspirada em Milton Keynes no interior dos sidepods contribuem para modificar a alma do SF-24: abaixo da entrada do radiador, a entrada vertical que alimentava o "duto de passagem" introduzido por Diego Tondi no SF-23 permaneceu, mas a abertura superior que havia sido revisada e corrigida no SF-24 desapareceu, dando lugar hoje apenas à "cobra", a aba vertical de cada lado das hastes do halo, que assumiram uma função completamente diferente.

E, continuando na análise da nova Ferrari, a semelhança com a Red Bull surge ainda mais, pois a entrada vertical se torna útil para o resfriamento dos radiadores, embora o SF-24 tenha um sistema de resfriamento muito diferente do RB20, dividido em quatro estágios separados.

Charles Leclerc, Ferrari SF-24

Charles Leclerc, Ferrari SF-24

Foto de: Davide Cavazza

Na verdade, a Scuderia manteve a troca de calor ar/água entre o chassi e o motor, em uma posição que é certamente mais central do que os radiadores da Red Bull contidos na "bazuca", mas está claro que, nesse ponto do carro da equipe italiana, as passagens de ar para resfriamento mudaram drasticamente.

Podemos imaginar que, na próxima evolução, a boca tradicional dos radiadores podem se tornar ainda mais estreita, ganhando em penetração de ar. E, de fato, é justamente a "bazuca" do SF-24 que agora se tornou mais arredondada para permitir uma maior saída de ar do que as guelras que costumavam ser abertas quando necessário.

Em suma, no carro SF-24, não há apenas uma mudança externa, porque a transformação é mais profunda. Ímola não será uma pista favorável à Ferrari no papel e não há certeza de que todos os novos recursos introduzidos funcionarão imediatamente.

Charles Leclerc, Ferrari SF-24

Charles Leclerc, Ferrari SF-24

Foto de: Davide Cavazza

A parte inferior da carenagem também é nova: o meio-fio na frente das rodas dianteiras e atrás da asa lateral, a "cimitarra", mais uma vez mostra uma fenda que permite que a parte inferior da carenagem sugue o fluxo em direção ao difusor, assim como a abertura visível no cotovelo do extrator.

Encontrar imediatamente a configuração certa para fazer cada elemento do novo pacote funcionar não será uma tarefa fácil em Ímola e, talvez por isso, Vasseur tenha se adiantado um pouco, mas não há dúvida de que essa Ferrari deve ser capaz de dar um grande salto de qualidade, avaliável em dois ou três décimos de segundo no tempo de volta...

DETALHES da oferta da MERCEDES a Sainz, o PLANO B da Audi e o PRAZO da decisão. 'Retorno' de Bottas?

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Podcast #281 - Vitória muda Norris de patamar na F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Mercedes vive recuperação "difícil" por ter tomado "caminhos errados", diz ex-diretor técnico
Próximo artigo F1 - Verstappen: "Prefiro estar 20s à frente do que disputando roda a roda"

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil