Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
55 dias
06 mai
Próximo evento em
97 dias
20 mai
Próximo evento em
111 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
125 dias
10 jun
Próximo evento em
132 dias
24 jun
Próximo evento em
146 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
153 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
167 dias
29 jul
Próximo evento em
181 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
209 dias
02 set
Próximo evento em
216 dias
09 set
Próximo evento em
223 dias
23 set
Próximo evento em
237 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
244 dias
07 out
Próximo evento em
251 dias
21 out
Próximo evento em
265 dias
28 out
Próximo evento em
272 dias
05 nov
Próximo evento em
280 dias
R
GP da Austrália
18 nov
Próximo evento em
293 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
308 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
317 dias

Análise técnica: o que as fotos mostram sobre o acidente de Grosjean no Bahrein

compartilhar
comentários
Análise técnica: o que as fotos mostram sobre o acidente de Grosjean no Bahrein
Por:
Co-autor: Matt Somerfield

Condição do piloto mostra o avanço que a F1 fez em termos de segurança, mas ainda deixa algumas dúvidas

A saída de Romain Grosjean do fortíssimo acidente sofrido no GP do Bahrein é uma das exibições mais públicas que a Fórmula 1 já teve do avanço na segurança do carro. O francês conseguiu sair quase ileso de uma desintegrada Haas, que se quebrou no meio, passou pelo guard-rail e ainda pegou fogo, algo que foi visto por muitos como um milagre.

Mas enquanto há mesmo alguma sorte envolvida no acidente, especialmente com o fato de Grosjean ter conseguido manter a consciência para sair do carro, a ciência e os protocolos de segurança da F1 tiveram um grande papel em sua sobrevivência.

Leia também:

A F1 e a FIA estão investigando o que aconteceu e as circunstância do caso serão profundas e extensas, com os resultados devendo levar meses para sair com a análise de vídeos, fotos e evidências físicas.

A Haas, por exemplo, já deixou claro que vai deixar a célula de sobrevivência de Grosjean intocada até a FIA fazer sua investigação. Gunther Steiner disse no domingo: "Vamos deixar como está porque não queremos tocar nisso no momento e precisamos ver o que todos querem fazer".

"Não há motivos para apressar nada porque não tem como usar aquele carro novamente. Então, para o momento, fica como está e vamos construir um novo carro para a semana que vem".

Mas enquanto as respostas sobre o acidente podem levar algum tempo para sair, as fotos da batida e suas consequências já podem oferecer indicadores sobre os fatores que estiveram no caminho para salvar a vida de Grosjean.

A estrutura da batida

Ficou claro que o bico do carro e a estrutura de batida da Haas se desintegrou assim que atingiu a barreira. 

Conforme o carro era retirado, é possível ver como que os Spars de proteção contra impacto lateral, registrado na imagem principal da nota, foram esmagados pela carga, sendo que é exatamente para isso que eles foram projetados: reduzir a força de um acidente.

Considerado que o carro de Grosjean, que pesa 746 kg, bateu nas barreiras a 221 km/h, com uma força estimada de mais de 50G, havia uma quantia enorme de energia para se livrar.

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Apesar de pouco reconhecível, a célula de sobrevivência permaneceu praticamente intacta apesar do impacto. Mas notem, na seta vermelha acima, como o chassi parece se abrir a frente do halo.

Halo e Santantônio

Com o chassi atravessando a barreira, parece que o halo foi se descascando, ajudando a proteger a cabeça de Grosjean, que não atingiu o metal. 

Já o dano ao santantônio indica que esse pode ter sido o ponto de parada contra a barreira. Na imagem acima, é possível ver que ele segue no lado da pista, sem entrar em direção à barreira. Isso é possivelmente o que causou a forma de V na barreira à esquerda.

Assim que o carro foi removido, o dano ao santantônio ficou mais visível e mostra claramente as forças tremendas que a parte do carro recebeu. A parte da frente sofreu um furo, mas sua estrutura se manteve intacta.

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20

Photo by: Andy Hone / Motorsport Images

Assim que foi retirado da barreira, o estado da célula de sobrevivência também ficou mais claro, com o dano indicado pela setas vermelhas na imagem abaixo. A abertura na frente ficou exposta pelo fato do painel não estar mais na seção superior do chassi.

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20

Photo by: Andy Hone / Motorsport Images

Considerando a exposição que o halo teve à barreira, ele permaneceu relativamente intacto, mas o dano mostra o nível da força que ele precisou aguentar. A carenagem do halo foi destruída, mas por ser apenas um painel laminado, isso já era esperado.

Marshals remove the wreckage after a huge crash for Romain Grosjean, Haas VF-20, on the opening lap

Marshals remove the wreckage after a huge crash for Romain Grosjean, Haas VF-20, on the opening lap

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

A situação do motor

Um dos aspectos mais dramáticos do acidente foi o modo como o carro automaticamente se partiu ao meio, com a célula de sobrevivência atravessando a barreira e a parte de trás, onde fica o motor, permanecendo no lado da pista.

Ferrari F60 chassis, fuel tank and KERS battery (bottom)

Ferrari F60 chassis, fuel tank and KERS battery (bottom)

Photo by: Giorgio Piola

Há seis parafusos que prendem a unidade de potência e, efetivamente, toda a extremidade traseira do carro à célula de sobrevivência. As indicações são de que esses parafusos se soltaram devido às tremendas forças em jogo, e o robusto segmento do motor acabou parando mais adiante na pista.

Marshals remove the wreckage after a huge crash for Romain Grosjean, Haas VF-20, on the opening lap

Marshals remove the wreckage after a huge crash for Romain Grosjean, Haas VF-20, on the opening lap

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

O incêndio provavelmente foi causado pela ruptura do próprio tanque de combustível ou pela ruptura das linhas de combustível com o impacto. As imagens parecem mostrar que os conectores foram puxados diretamente para fora do tanque.

E mesmo que todo o combustível do carro não tenha explodido com o incêndio, parece (acima) que o tanque está vazio e esmagado nesta imagem, quando os fiscais estão colocando o carro no guincho. Um painel também está faltando.

Pietro Fittipaldi é confirmado pela Haas e vai correr no lugar de Grosjean no GP do Sakhir

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PODCAST: Domínio da Mercedes tira mérito de Hamilton em suas conquistas?

 

F1 se defende após críticas de Ricciardo sobre replays do acidente de Grosjean no Bahrein

Artigo anterior

F1 se defende após críticas de Ricciardo sobre replays do acidente de Grosjean no Bahrein

Próximo artigo

Esposa de Grosjean fala sobre como filhos "o tiraram do incêndio" no Bahrein: "Foram vários milagres"

Esposa de Grosjean fala sobre como filhos "o tiraram do incêndio" no Bahrein: "Foram vários milagres"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP do Bahrein
Pilotos Romain Grosjean
Autor Jonathan Noble