Chefe da McLaren afirma que F1 não precisa introduzir "elementos artificiais" para melhorar espetáculo

Andreas Seidl criticou as ideias de provas coringas no calendário e as corridas classificatórias com grid invertido

Chefe da McLaren afirma que F1 não precisa introduzir "elementos artificiais" para melhorar espetáculo

Com os debates sobre a Fórmula 1 introduzir novas regras e formatos para tentar mexer com o espetáculo novamente em alta, o chefe da McLaren, Andreas Seidl, disse que o esporte não precisa mexer com isso adicionando corridas extracampeonato ou provas de classificação com grid invertido apenas porque a Mercedes segue dominando.

Após o GP da Itália, Ross Brawn, diretor esportivo da F1, revelou que a Liberty Media deve voltar a colocar na mesa a proposta das corridas de classificação de 2021, enquanto algumas equipes sugeriram a introdução de uma vaga coringa no calendário para o futuro.

Leia também:

Esse último veio após o sucesso do GP da Toscana em Mugello, com fãs, equipes e pilotos celebrando a adição de uma nova pista ao calendário.

Mas Seidl disse que não há necessidade da F1 fazer alguma coisa radical apenas para melhorar o espetáculo porque a Mercedes segue dominante. Ele acredita que o novo regulamento de 2022 já fará o suficiente para trazer o grid mais próximo, então não há necessidade dessas coisas artificiais.

Perguntado sobre a ideia, Seidl disse: "Honestamente, não vejo necessidade, porque também não acho que precisamos de coisas como grid invertido".

"Tivemos grandes corridas, mesmo no ano passado, quando as equipes da frente tinham recursos similares e lutavam por vitórias. Tivemos grandes batalhas no pelotão do meio, inclusive neste ano".

"Mas, com apenas uma equipe, tendo os melhores recursos e fazendo um trabalho sensacional comparados aos demais, infelizmente acabamos com um ano de domínio da Mercedes. Esse é o problema".

"No final, a Mercedes trabalhou duro para chegar onde estar no momento, eles merecem o domínio e as vitórias".

Seidl reconhece que um grid mais igual, além da habilidade dos carros de 2022 da F1 de andarem mais próximos entre si, jogam fora a necessidade de efeitos artificiais para melhorar o show.

"Com tudo que está planejado para 2022, estou otimista. Tenho esperança de que estamos criando um grid muito mais próximo. E o novo regulamento técnico deve ajudar. As corridas na pista e os carros mais próximos devem ajudar muito a melhorar o espetáculo".

"É por isso que não sou fã de introduzir coisas aleatórias e artificiais na Fórmula 1, porque, para mim, isso não é F1".

McLaren MCL35 (Temporada 2020)
McLaren-Renault MCL35
Motor: Renault
Combustível: Gulf Oil
Pneus: Pirelli

Pilotos:

4 - Lando Norris

55 - Carlos Sainz

Alonso é TAXATIVO sobre seus rivais Hamilson e Schumacher e "se compara" a algoz Vettel; veja

PODCAST: Kimi Raikkonen, 'apenas' um grande personagem ou um verdadeiro campeão?

 

compartilhar
comentários
Ricciardo: F1 pode ter "corrida doida" em Nurburgring

Artigo anterior

Ricciardo: F1 pode ter "corrida doida" em Nurburgring

Próximo artigo

F1: Albon diz que precisa ganhar confiança com carro da Red Bull para melhorar

F1: Albon diz que precisa ganhar confiança com carro da Red Bull para melhorar
Carregar comentários