F1: Alonso volta a criticar comissários e pede aplicação clara de regras como no futebol

Espanhol ainda questionou Michael Masi, que afirmou que discutirá o assunto com os pilotos antes do GP do México

F1: Alonso volta a criticar comissários e pede aplicação clara de regras como no futebol

Após uma disputa intensa com Kimi Raikkonen no GP dos Estados Unidos, com uma dose de frustração ao achar que o finlandês se livrou de uma punição por ultrapassar fora da pista, Fernando Alonso defendeu que a Fórmula 1 precisa ser tão rígida quanto o futebol na aplicação do regulamento e penalizações.

Em uma batalha que valia a zona de pontos, Raikkonen fez uma manobra por fora na curva 1 em cima do espanhol, mantendo a aceleração enquanto saída da pista para obter a posição.

Leia também:

Enquanto os comissários julgaram que a manobra de Raikkonen era passável porque ele havia sido forçado para fora da pista por Alonso, o espanhol não entendeu porque o piloto da Alfa Romeo foi liberado enquanto outros incidentes em outras curvas foram julgados como fora do regulamento.

A controvérsia mais recente sobre a inconsistência nas penalizações levou a novos debates sobre se a F1 poderia se beneficiar de um documento formal que deixaria claro o que é permitido e o que não é permitido no calor da batalha.

Mas Alonso insiste que, em sua cabeça, o código de conduta é claro, e que a única coisa que falta no momento é uma aplicação consistente das regras pela FIA. Questionado pelo Motorsport.com se ele acredita que os pilotos precisam de regras claras, ele disse: "Não, acho que não precisamos de nada. O regulamento é muito claro".

"Apenas precisamos aplicar as regras. Acho que quando você olha para o futebol e a bola acerta a mão de alguém dentro da área, é pênalti. Então há uma regra bem clara. Você apenas precisa bater o martelo e dizer que é pênalti. Porque, se não, todos na área vão colocar a mão na bola".

"Você não precisa de modificação nenhuma. Precisamos apenas implementar as regras quando algo acontece".

O diretor de provas, Michael Masi, admitiu que a decisão sobre o caso de Raikkonen foi "marginal", e que o assunto será discutido com os pilotos no México.

Fernando Alonso, Alpine A521, Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C41

Fernando Alonso, Alpine A521, Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C41

Photo by: Andy Hone / Motorsport Images

O ponto-chave do debate é definir as circunstâncias de quando um piloto no lado de dentro da curva tem o direito à trajetória, e quando ele precisa desistir de avançar por fora.

Novamente, Alonso sugeriu que incidentes do tipo são tratados de formas distintas, dependendo de quem está envolvido. Anteriormente ele sugeriu que alguns rivais se livravam de punições que outros acabavam recebendo.

Questionado se ele sentia que as decisões da FIA hoje são mais inconsistentes que no passado, Alonso disse: "Acho que sim, porque depende de quem faz. Acho que em Sochi, eu errei a curva um, e na Turquia, foi um tópico de debate".

"Aqui, sem forçar ninguém para fora, tivemos três carros saindo da pista na curva um, por decisão própria. Então veremos se isso será debatido no México ou se tudo estará bem porque Fernando não fez nada do tipo".

RETA FINAL: Fim da linha para Mercedes/Hamilton em '21? O pós-GP, VW na F1, polêmicas nos EUA e mais

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #139 – Qual o campeonato da F1 mais emocionante do século?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Horner diz que é impossível prever se Red Bull terá vantagem no México
Artigo anterior

F1: Horner diz que é impossível prever se Red Bull terá vantagem no México

Próximo artigo

F1: Apesar de derrota, Mercedes ainda vê GP dos EUA como "encorajador"

F1: Apesar de derrota, Mercedes ainda vê GP dos EUA como "encorajador"
Carregar comentários