F1: "É simplesmente ridículo", reclama Wolff sobre decisão de não penalizar Verstappen

Chefe da Mercedes acredita que a decisão de não penalizar o piloto holandês pela disputa com Hamilton na curva 4 foi “risível”

F1: "É simplesmente ridículo", reclama Wolff sobre decisão de não penalizar Verstappen
Carregar reprodutor de áudio

Max Verstappen teve batalha roda a roda com Lewis Hamilton depois que o piloto da Mercedes conseguiu se recuperar do 10º lugar do grid para ficar em segundo, atrás de seu rival da Red Bull.

Hamilton conseguiu chegar em Verstappen e alinhar uma ultrapassagem na volta 48 pelo lado de fora da Curva 4, mas os dois pilotos saíram da pista durante a frenagem.

Hamilton chamou a ação de “loucura” pelo rádio, mas embora os comissários tenham notado o incidente, optaram por não fazer uma investigação. O próprio Hamilton, após a corrida, considerou a disputa como um incidente de corrida.

Verstappen acabaria por perder a posição para Hamilton depois de ser ultrapassado 11 voltas depois na mesma curva, vendo sua liderança no campeonato cair para 14 pontos com três corridas pela frente.

Leia também:

Falando à imprensa após a corrida, o chefe da Mercedes na F1, Toto Wolff, observou como "o fim de semana inteiro foi contra nós" em meio às decisões de vários comissários, principalmente com a exclusão de Hamilton da qualificação na sexta-feira.

“Tivemos uma peça quebrada em nossa asa traseira que não pudemos olhar, não pudemos analisar, falhou no teste e, depois houve a desqualificação, algo muito severo”, disse Wolff.

“E então você vê que houve reparos três vezes seguidas em uma asa traseira da Red Bull no regime de parque fechado, mas sem consequências. Isso é uma coisa. E obviamente isso realmente atingiu o pico com a decisão na corrida, em que houve uma defesa muito errada de Max, absolutamente um centímetro além do limite, mas ele precisava fazer isso para se defender."

Por outro lado, destacou o trabalho do piloto da sua equipe. “Lewis conseguiu ainda mais brilhantemente ao evitar o contato e terminar a corrida dessa forma. Mas isso foi um pouco além do limite, deveria ter sido uma penalidade de cinco segundos, pelo menos. Provavelmente Max sabia disso. Resta colocar essas questões para baixo do tapete por serem apenas a ponta do iceberg", reclamou o dirigente, que finalizou: "É simplesmente ridículo."

Isso marcou outro revés para a Mercedes em sua luta contra a Red Bull no fim de semana do GP de São Paulo, tendo em vista que Hamilton foi excluído da qualificação depois que o DRS em sua asa traseira falhou em uma verificação técnica após a qualificação.

Falando sobre a disputa na curva 4 após a corrida, Hamilton disse que "sabia que essa era a decisão que eles tomariam", mas que ele não queria entrar em detalhes se era justo ou não, comentando: “Realmente não importa, consegui o resultado de que precisava.”

Questionado pela Motorsport.com sobre o que como pensava que teria sido a decisão se Verstappen estivesse no lugar de Hamilton, Wolff disse: “Não quero reclamar nada sobre os comissários. Eu acho que eles têm uma vida difícil de qualquer maneira. E eles estão lá apenas para alguém perder, qualquer que seja a decisão que tomem, uma equipe ficará mal-humorada. Nesse sentido, não quero estar nesta cadeira".

“Mas, de certa forma, quando você está levando socos durante todo o fim de semana, e então você tem uma situação dessas acima de tudo, você está apenas perdendo a fé de uma forma.”

Wolff disse que embora fosse a favor de disputas duras entre os pilotos, as regras deveriam ser aplicadas de forma consistente. "O que quer que esteja nas notas do diretor, vamos aceitar", disse Wolff.

“Eu também aceito se as anotações do diretor forem destruídas e nós apenas corrermos de forma disputada como fizemos hoje, tudo bem. Mas se as notas do diretor dizem que você não pode empurrar ninguém para fora da pista no México, e então, obviamente, isso é válido aqui também, e então você está realmente sendo levado para fora da pista, simplesmente não é muito consistente.

“Minha conversa com o diretor da prova não foi transmitida, mas minha reação foi. Sentimos que vamos discutir isso a portas fechadas. ”

Após a vitória, Hamilton foi multado em 5 mil euros por soltar os cintos de segurança na volta após a vitória no GP de São Paulo de Fórmula 1 de domingo em Interlagos.

F1 AO VIVO: A BATALHA de São Paulo; a volta da F1 ao Brasil, veja toda repercussão

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #145 - TELEMETRIA: Rico Penteado analisa fim de semana em Interlagos

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
GP de São Paulo bate recorde e tem o maior público da F1 no Brasil em toda a história
Artigo anterior

GP de São Paulo bate recorde e tem o maior público da F1 no Brasil em toda a história

Próximo artigo

FOTOS: Hamilton relembra Senna e comemora vitória em Interlagos na F1 com a bandeira do Brasil

FOTOS: Hamilton relembra Senna e comemora vitória em Interlagos na F1 com a bandeira do Brasil