F1: Hamilton não está "muito estressado" com problemas da Mercedes

Mas heptacampeão diz que equipe trabalha duro para resolver problemas e que espera entrar na luta "o mais rápido possível"

Carregar reprodutor de áudio

A Mercedes e seu W13 estão entre os mais afetados pelo fenômeno do porpoising, uma consequência direta do efeito solo, perdendo terreno para Ferrari e Red Bull. E enquanto o time alemão corre atrás para solucionar o problema, o heptacampeão da Fórmula 1 Lewis Hamilton diz que não está "muito estressado" por isso, mas espera entrar na luta o mais rápido possível.

Hamilton e seu companheiro de equipe, George Russell, completaram um "final de semana com controle de danos efetivo" no Bahrein, ao terminarem em terceiro e quarto após os abandonos das Red Bulls.

Leia também:

Porém, Hamilton alertou que a Mercedes "não pode depender" de problemas como os da Red Bull todos os finais de semana. O britânico, que disputa neste fim de semana seu 180º GP com a Mercedes neste fim de semana, superando a parceria entre Michael Schumacher e a Ferrari, diz não estar muito estressado com o ritmo neste começo de ano.

"Temos problemas e estamos lutando para resolvê-los. Há muito potencial em nosso carro. Estamos apenas tentando o nosso máximo para retificá-los o mais rápido possível. Não tenho dúvidas de que temos o melhor grupo de pessoas ao nosso redor para encontrar soluções e extrair performance".

"Então não me sinto muito estressado. Mas quero entrar na luta o mais rápido possível. Precisamos avançar o mais rápido que podemos".

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG

Photo by: Steve Etherington / Motorsport Images

Questionado se era possível quantificar o quanto a Mercedes estava comprometendo sua performance ao aumentar a altura do carro para minimizar o porpoising, Hamilton disse: "Não sei os números exatos, mas sei que é muito. Os carros que estão à nossa frente por exemplo, tem muito downforce em baixa velocidade".

Enquanto Hamilton está confiante de uma volta por cima da Mercedes, ele reduziu as expectativas para Jeddah devido à sua proximidade com o Bahrein.

"Trabalhamos muito nos últimos três dias. Estou orgulhoso de minha equipe por manter o foco, lidando com as quantidades absurdas de dados. Estamos cientes dos problemas, mas em termos do que está causando, estamos trabalhando para descobrir como resolver sem perder performance".

"Com tão pouco tempo entre as corridas, não há uma grande diferença entre este fim de semana e outro"

Hamilton disse ainda que está animado pela "super rápida" Jeddah, mesmo que as longas retas possam "não ser tão divertidas" devido ao porpoising. Ele também está animado com possíveis novas configurações: "Na perspectiva de um piloto, é emocionante quando você entra no carro para testar algo novo, esperando que consiga descobrir um pouco mais de performance.

Vitória de VERSTAPPEN? F1 promete ENQUADRAR produção de DRIVE TO SURVIVE após “fabricar rivalidades”

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #169 - TELEMETRIA: Rico Penteado aponta o que GP na Arábia terá de diferente

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Hulkenberg e Magnussen relembram atrito na Hungria e 'fazem as pazes'
Artigo anterior

F1: Hulkenberg e Magnussen relembram atrito na Hungria e 'fazem as pazes'

Próximo artigo

F1 AO VIVO: Acompanhe o primeiro treino livre para o GP da Arábia Saudita em tempo real

F1 AO VIVO: Acompanhe o primeiro treino livre para o GP da Arábia Saudita em tempo real