Fórmula 1 GP do Japão

F1: Mercedes 'rebate' Hamilton após crítica do heptacampeão à equipe

Britânico não 'entendeu' a ideia do time em colocar Russell na sua zona de DRS

Lewis Hamilton, Mercedes F1 W14, George Russell, Mercedes F1 W14

O GP do Japão de Fórmula 1 não foi dos mais fáceis para Mercedes, principalmente, em lidar com os dois pilotos disputando entre si dentro da pista. A equipe insiste que suas ordens foram apenas para ajudar Lewis Hamilton, apesar do heptacampeão questionar algumas delas alegando ser "sem sentido".

Leia também:

Nos estágios finais da corrida em Suzuka, George Russell, que havia feito uma única parada, estava em quinto lugar, à frente de Hamilton, enquanto a Ferrari de Carlos Sainz se aproximava deles. 

Embora Hamilton estivesse com pneus mais novos, não houve nenhum pedido imediato para que Russell desse a posição ao seu companheiro de equipe, o que provocou algumas frustrações do heptacampeão mundial pelo rádio. 

Finalmente, a Mercedes cedeu e pediu a Russell que cedesse a posição. Mas, quando Hamilton tentou se afastar, foi solicitado que ele tirasse o pé para manter Russell no alcance do DRS - com a esperança de que isso pudesse ajudá-lo a se defender melhor contra Sainz.

Hamilton achou que a ideia do DRS estava errada, pois disse à equipe pelo rádio - e repetiu depois da corrida - que teria sido muito melhor para ele seguir em frente e construir a maior vantagem possível . 

"Não acho que tenha sido uma boa ideia", explicou Hamilton. "Quando eles sugeriram isso para mim, eu sabia que eles obviamente tinham pensado nisso desde a última corrida e não fazia sentido." 

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG

Foto de: Steve Etherington / Motorsport Images

Falando sobre o processo de tomada de decisão, ao lidar com os dois pilotos naquela fase da prova, Andrew Shovlin, diretor de engenharia de pista da Mercedes, deixou claro que o foco estava totalmente voltado para garantir que Hamilton não fosse ultrapassado por Sainz. 

"Era muito difícil organizar os carros naquele momento", disse ele. "Quando decidimos trocá-los, foi mais quando vimos a velocidade com que Carlos estava atrás deles, e que Lewis no meio poderia estar em risco, pois também estava com pneus velhos.  

"Talvez pudesse ter funcionado melhor,  mas o fato é que estávamos tentando evitar que Lewis perdesse aquela posição também, já que ele podia terminar à frente de Carlos." 

Com Hamilton e Russell tendo brigado muito nos estágios iniciais da corrida, a Mercedes minimizou o risco de mais disputas roda a roda quando dividiu as estratégias. Enquanto Hamilton optou pela estratégia mais usada de duas paradas, Russell tentou fazer com que uma parada funcionasse, já que a degradação de seus pneus não era desastrosa. 

Perguntado se a briga inicial com Hamilton teve alguma influência na decisão da estratégia, Shovlin disse: "Não, na verdade não. Porque, em termos do que a equipe está fazendo, estamos tentando marcar pontos contra a Ferrari. Quando percebemos que não estávamos desafiando a McLaren por um pódio, passamos a analisar o que estava acontecendo com a Ferrari."

"Estávamos tentando usar os dois carros de forma eficaz para nos dar essas oportunidades, e conseguir um deles foi uma limitação de danos útil, já que ambos começaram à nossa frente na corrida." 

Embora a abordagem agressiva que seus pilotos adotaram para lutar entre si tenha levantado algumas sobrancelhas e algumas palavras duras tenham sido ditas pelo rádio da equipe, a Mercedes minimizou qualquer conversa sobre atrito extra entre Hamilton e Russell. 

O diretor de comunicações Bradley Lord disse: "Obviamente, os dois estão correndo muito em um carro complicado, chegando ao limite. E houve algumas frases no rádio também que refletiram isso."

"Acho que, ao longo dos anos, adquirimos o hábito de não dar muita importância ao que é dito no calor do momento, em meio à pressão na cabine de comando, especialmente em uma corrida quente e exigente como esta. Qualquer coisa que precise ser arrumada ou discutida depois, nós poderemos tirar da panela de pressão e lidar com isso com calma e tranquilidade no relatório."  

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast debate tensão interna na Mercedes e até quando Pérez 'sobrevive' na Red Bull

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte também do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: A principal regra para Pérez voltar à pista depois de abandonar a corrida no Japão
Próximo artigo F1 - Alonso explica críticas à Aston Martin pelo rádio no GP do Japão e se defende: "Tirado de contexto"

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil