Fórmula 1
06 mai
Próximo evento em
58 dias
20 mai
Próximo evento em
72 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
86 dias
10 jun
Próximo evento em
93 dias
24 jun
Próximo evento em
107 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
114 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
128 dias
29 jul
Próximo evento em
142 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
170 dias
02 set
Próximo evento em
177 dias
09 set
Próximo evento em
184 dias
23 set
Próximo evento em
198 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
205 dias
07 out
Próximo evento em
212 dias
21 out
Próximo evento em
226 dias
28 out
Próximo evento em
233 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
269 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
278 dias

Grosjean: salários como o de Hamilton são inaceitáveis na F1

Francês, que também é presidente da associação de pilotos, se divide em defender um teto salarial para pilotos da categoria

compartilhar
comentários
Grosjean: salários como o de Hamilton são inaceitáveis na F1

Romain Grosjean acredita que é inaceitável que pilotos de ponta da Fórmula 1, como Lewis Hamilton, ganhem £40 milhões por ano (cerca de R$ 240 milhões), enquanto alguns rivais recebem muito menos

Com a Fórmula 1 analisando a possibilidade de teto salarial no futuro, como parte de corte de custos recorrente, a ideia dividiu os pilotos do grid, enquanto alguns são a favor da mudança, por sentirem que igualaria as condições, outros são contra por acreditarem que as maiores estrelas devem receber os maiores salários.

Leia também:

Grosjean, piloto da Haas e diretor da Associação de Pilotos de Grandes Prêmios (GPDA), afirmou que há um debate ocorrendo sobre o assunto e que uma das preocupações é de que limitar os pagamentos com um teto salarial pode afetar a carreira de pilotos em ascensão.

“Conversamos sobre isso na GPDA”, explicou o francês. “Alguns foram a favor, outros foram contra. Eu acredito que é inaceitável que Lewis Hamilton ganhe mais de £40 milhões enquanto outros pilotos recebam €150 mil por ano (cerca de R$ 900 mil) pelo mesmo trabalho”, completou.

“No entanto, o que foi apontado é que se criarmos um teto salarial para os pilotos, quebraríamos toda a escada do automobilismo. Que empresário investiria dinheiro em programas para jovens pilotos para pagar por suas corridas se eles não conseguem pegar o dinheiro deles de volta através de uma porcentagem nos altos salários dos pilotos? Esse é o debate.”

“Pessoalmente, eu não era necessariamente contra a ideia de ter os salários dos pilotos em um teto orçamentário. Mas assim, claro, você questionaria qual montadora ou empresário gastaria uma fortuna em um piloto apenas para receber 20% de volta de algo que está sob um teto, então eles nunca conseguiriam seu dinheiro de volta.”

Hexacampeão mundial, Hamilton começará conversas com a Mercedes em breve para definir um novo contrato, com ele certamente permanecendo na equipe nos próximos anos.

O piloto inglês se movimentou no sábado pela manhã para criticar uma reportagem que havia reportado que a Mercedes recusou uma pedida do piloto por £40 milhões e estariam oferecendo apenas metade deste valor.

“Então a mídia fica escrevendo sobre contratos e sobre eu estar fazendo demandas, mas eu ainda não falei com o Toto (Wolff) sobre isso”, disse no Instagram. “As conversas ainda nem começaram. Então parem de inventar bobagens.”

'Declaração de guerra': veja como o GP da Áustria de F1 gerou uma briga entre Mercedes e Red Bull

PODCAST: Entrevista com Bruno Senna: a trajetória no automobilismo e histórias com tio Ayrton Senna

 

Related video

Kubica volta a guiar F1 na próxima sexta-feira pela Alfa Romeo

Artigo anterior

Kubica volta a guiar F1 na próxima sexta-feira pela Alfa Romeo

Próximo artigo

Podcast #057 - Bastidores do início da F1 na Áustria e participação de Felipe Drugovich

Podcast #057 - Bastidores do início da F1 na Áustria e participação de Felipe Drugovich
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Áustria
Pilotos Lewis Hamilton , Romain Grosjean
Equipes Mercedes , Haas F1 Team
Autor Jonathan Noble