Haas considera manter privado ações ou consequências sobre caso Mazepin

Gunther Steiner afirmou que vai se manter objetivo ao longo de sua investigação pessoal, mas que considera não revelar qualquer consequência

Haas considera manter privado ações ou consequências sobre caso Mazepin

O chefe da Haas na Fórmula 1, Gunther Steiner revelou que a equipe pode manter em sigilo qualquer ação tomada em relação a Nikita Mazepin, piloto da equipe para 2021, e o vídeo publicado recentemente nas redes sociais.

Uma semana após a Haas confirmar que o russo fará sua estreia na F1 em 2021 com a equipe, um vídeo foi publicado nas redes sociais de Mazepin onde ele toca de modo inapropriado o peito de uma mulher que estava no banco de trás de um carro.

Leia também:

Já no dia seguinte a Haas divulgou um comunicado condenando o comportamento de Mazepin, chamando de "abominável", recebendo apoio da FIA e da F1, e Steiner disse ao Motorsport.com que a equipe está tratando o caso "com muita seriedade", mas que o assunto seria tratado internamente.

Mazepin divulgou um pedido de desculpas após o incidente, afirmando que ele precisa "se manter em um nível mais alto enquanto piloto de Fórmula 1".

Falando no domingo após o GP de Abu Dhabi, Steiner disse que o assunto ainda estava pendente já que a equipe estava focada na última corrida do ano.

"Tivemos uma corrida neste final de semana como vocês sabem, então não consegui focar nisso. Isso será um trabalho para a próxima semana, quando eu voltar para o meu escritório. Vou viajar e aí lido com isso".

"Mas falamos antes do começo do final de semana e disse que não havia um ponto em fazer alguma coisa neste momento porque estamos focados".

Mazepin garantiu sua superlicença, documento necessário para correr na F1, na última corrida da Fórmula 2 no Bahrein, terminando em quinto no campeonato. O russo traz um forte aporte financeiro para a Haas, com sua carreira sendo financiada por seu pai, o bilionário Dmitry Mazepin, dono da empresa do ramo químico Urakali.

Steiner deixou claro que a Haas pode fazer uma avaliação objetiva da situação apesar das implicações financeiras envolvidas, mas disse que os detalhes que qualquer ação que possam ser tomadas podem acabar ficando privadas.

"Sim, eu posso fazer uma avaliação objetiva, obviamente. Mas, como disse, vou lidar com isso na próxima semana. Talvez vocês nunca saberão o que acontecerá e quais são as circunstâncias, porque irei mantê-las privadas".

Steiner disse que era importante não focar em sua reação pessoal ao incidente, dizendo que ele precisa se manter objetivo e coletar todos os detalhes antes de tomar qualquer decisão.

"Isso não tem a ver com a minha reação pessoal. A primeira coisa é: eu olhei para isso e não reagi, porque sabia que era preciso me manter objetivo. Então não tenho reação a isso".

"Preciso juntar todos os fatos, falar com as pessoas e os envolvidos e entender como tudo aconteceu. Aí tomarei minha decisão. Isso não me afeta pessoalmente no momento. Não posso fazer isso, porque aí não sou mais objetivo".

"Preciso ser objetivo sobre tudo".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Kvyat fora da AlphaTauri! ENTENDA o impacto da mudança e VEJA como está o mercado da F1 21

PODCAST: Como ficará marcada a temporada de 2020 da F1?

 

compartilhar
comentários
Pietro revela busca para “manter pé na F1” e vaga na Indy em 2021

Artigo anterior

Pietro revela busca para “manter pé na F1” e vaga na Indy em 2021

Próximo artigo

Red Bull não tem planos para buscar novo patrocinador máster após saída da Aston Martin

Red Bull não tem planos para buscar novo patrocinador máster após saída da Aston Martin
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Nikita Mazepin
Equipes Haas F1 Team
Autor Luke Smith