Hamilton e Vettel pedem redução de custos nas categorias de base da F1

Campeões da categoria máxima teriam que desembolsar quantias milionárias para fazer carreira se começassem nos dias de hoje - e talvez não conseguissem

Hamilton e Vettel pedem redução de custos nas categorias de base da F1
Carregar reprodutor de áudio

Seguir uma carreira no automobilismo está ficando cada vez mais caro nos dias de hoje. Os grandes campeões da Fórmula 1 querem que algo seja feito em relação a isso. É de conhecimento geral que o esporte a motor não é acessível a todos devido aos custos por vezes proibitivos, e isto é ainda mais verdadeiro nas fórmulas juniores, onde os jovens enfrentam orçamentos que aumentaram.

O assunto foi levantado por Lewis Hamilton com o diário espanhol AS, por ele acreditar que a F1 se tornou um "clube de filhos de bilionários". Três 'desses' ingressaram na categoria nos últimos cinco anos: Lance Stroll, Nicholas Latifi e Nikita Mazepin.

Leia também:

"Se eu tivesse que começar do zero em uma família da classe trabalhadora, seria impossível para mim estar [na Fórmula 1] hoje porque os outros teriam muito mais dinheiro", disse o heptacampeão, cujo pai Anthony teve múltiplos empregos para financiar o início de sua carreira. "Temos que mudar isso para torná-la acessível, tanto para os ricos quanto para as pessoas de origens mais modestas."

Se Hamilton entrasse na base agora com um histórico semelhante ao seu - duas temporadas na Fórmula Renault do Reino Unido, mais duas na F3 Euro Series e uma na GP2 - ele provavelmente precisaria desenterrar cerca de cinco milhões de euros (cerca de R$ 32 milhões) para essas cinco campanhas, sem contar o kart, que também é cada vez mais caro. É claro que, na época, o jovem britânico se beneficiou notavelmente do apoio da McLaren.

Sebastian Vettel, ASL Mücke Motorsport et Lewis Hamilton, ASM Formule 3

Sebastian Vettel et Lewis Hamilton en F3 Euro Series, en 2005

Sebastian Vettel, por sua vez, subiu na hierarquia da academia da Red Bull, com duas temporadas na Fórmula BMW ADAC (antecessora da ADAC F4 na Alemanha), duas na F3 Euro Series e uma campanha parcial na Fórmula Renault 3.5. A ascensão meteórica terminou com a adesão à F1 em 2007, aos 20 anos de idade. Se a mesma carreira fosse feita 15 anos depois, o tetracampeão poderia precisar de quase quatro milhões de euros (aproximadamente R$ 25,6 milhões).

"Não existe uma solução rápida, mas no final os custos são muito altos", disse o alemão. "Com toda a justiça, se eu pensar nos meus primeiros dias, os gastos eram mais baixos, mas ainda altos. Bem, eu tive sorte. O Sr. Gerhard Noack, o mesmo que cuidou de Michael [Schumacher] em seus primeiros passos, me apoiou.

"Já era muito caro na época, então acho que Michael precisava de ajuda, e eu também, porque não tinha recursos financeiros. Acho que na primeira temporada que fizemos bem no início do kart, conseguimos cumprir a metade por conta própria e depois começar a ter a sorte de encontrar pessoas que nos ajudaram."

"Acho que o mundo mudou desde então, o patrocínio mudou, assim como provavelmente a vontade de investir dinheiro nos jovens e no automobilismo. Em suma, sempre foi complicado. Acho que não há uma solução rápida, mas algumas coisas que podem ser consertadas para tentar tornar o esporte mais acessível para todas as origens e todos os jovens. É uma paixão cara, não importa como você a veja, mas realmente explodiu nos últimos anos."

MARI BECKER fala de PRAZER, REALIZAÇÃO e SUCESSO com F1 NA BAND: "Apresentei o esporte DE VERDADE"

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #155 - Piores da F1 2021: Quais pilotos/equipes decepcionaram? Masi é consenso?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Votação popular elege GP da Itália como melhor corrida de 2021; veja top 5
Artigo anterior

F1: Votação popular elege GP da Itália como melhor corrida de 2021; veja top 5

Próximo artigo

F1: Chefe da Alfa Romeo vê Bottas pronto para liderar equipe

F1: Chefe da Alfa Romeo vê Bottas pronto para liderar equipe
Carregar comentários