Iannone deposita esperança em novo chassi da Suzuki

Andrea Iannone acredita que com novo chassi que Suzuki deve introduzir na GSX-RR nas próximas corridas deve ajudar a resolver problemas atuais da moto

Iannone deposita esperança em novo chassi da Suzuki
Alex Rins, Team Suzuki MotoGP
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP, with the Nicky Hayden Tribute helmet
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Johann Zarco, Monster Yamaha Tech 3, Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP, Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Carregar reprodutor de áudio

A Suzuki, que apresentou um desempenho promissor na temporada 2016 da MotoGP - especialmente nas mãos de Maverick Viñales, que venceu uma vez e foi ao pódio em outras oportunidades - vem sofrendo em 2017.

Andrea Iannone, que chegou para o lugar do espanhol, ocupa o 14º lugar na pontuação, tendo um sétimo lugar como melhor resultado neste ano. O italiano já havia destacado a existência de dificuldades na tração como um grande problema a resolver. Agora, Iannone espera que o novo chassi, em desenvolvimento, ajude a mudar os rumos da Suzuki.

“A sensação com a moto não está 100%, o que é um grande problema na MotoGP", disse. "Creio que entendemos qual é o caminho, mas é difícil melhorar nas corridas."

“Estamos esperando por novas partes vindas do Japão, creio que em algumas corridas teremos uma boa chance de andar bem. No momento, estamos tentando dar o melhor com o que temos", afirmou.

“Os engenheiros no Japão estão trabalhando duro, produzindo um novo chassi para o futuro. Vamos testar, sem dúvida. Às vezes pode vir algo melhor, às vezes não. Mas sabemos do que precisamos e vamos tentar fazer um bom trabalho para nos recuperarmos e estarmos mais próximos dos ponteiros", acrescentou.

Ausência de Rins prejudica

Nas seis primeiras etapas da temporada 2017, Iannone teve três companheiros de equipe diferentes, já que Alex Rins fraturou o pulso em dois lugares após uma queda em Austin. Em Jerez, foi Takuya Tsuda, piloto de testes do time, que pilotou, enquanto em Le Mans e Mugello a moto foi conduzida por Sylvain Guintoli.

Rins deve retornar no teste pós-GP da Catalunha, o que Iannone espera que ajude a desenvolver a GSX-RR.

“Espero que Alex volte logo", disse. "Ele é um piloto jovem e veloz, desde o começo trabalhamos juntos para tornar a moto mais veloz. No momento, tenho apenas os meus dados, às vezes os dados de Maverick em 2016, mas é diferente", comentou.

“Ainda mais neste ano, pois tivemos um pneu dianteiro diferente no início e sofremos bastante no momento nos pontos de freada, é difícil para nós liberar o freio. Ainda não entendemos isso completamente, é difícil. Espero que Alex volte logo e que reiniciemos os trabalhos", completou.

compartilhar
comentários
KTM confirma moto extra para Kallio em dois GPs de 2017
Artigo anterior

KTM confirma moto extra para Kallio em dois GPs de 2017

Próximo artigo

Crutchlow diz não entender críticas à chicane de Barcelona

Crutchlow diz não entender críticas à chicane de Barcelona