F1 - Bottas: Pressão constante de contratos apenas de um ano tiveram efeito maior do que imaginava

Mesmo em seus anos de Williams, Bottas não havia conseguido ir além de um contrato de um ano com opção de renovação por mais um

F1 - Bottas: Pressão constante de contratos apenas de um ano tiveram efeito maior do que imaginava

De saída da Mercedes no fim de 2021 após cinco temporadas, Valtteri Bottas admitiu que a pressão constante que ele enfrentou por ter apenas contratos de um ano com a equipe alemã neste período teve um impacto negativo em sua performance na Fórmula 1 maior do que ele imaginava.

O finlandês assinou um contrato de múltiplas temporadas com a Alfa Romeo a partir de 2022, dando a ele uma garantia maior sobre o futuro em muito tempo.

Leia também:

E tendo que se virar nos anos de Mercedes com a necessidade de se provar a cada temporada para manter a vaga, ele acredita que o cenário diferente com a Alfa Romeo abriu seus olhos para o que ele havia perdido antes.

"Possivelmente teve um impacto maior em mim do que eu imaginava, porque assim que tudo estava feito, comigo sabendo o que faria pelos próximos anos, eu me senti um pouco mais livre e menos pressionado", disse Bottas antes do GP de São Paulo.

"Foi quase como um peso tirado dos meus ombros. Essa é a sensação, e é algo que eu nunca tive antes: sabendo que eu poderei focar em algo com uma equipe, com as pessoas ao meu redor por alguns anos, não tendo que focar apenas naquele ano".

"Normalmente após seis meses eu preciso lutar pela minha vaga. Então ter esse tipo de confiança de uma equipe, sabendo que eu poderei dar o meu melhor por alguns anos, é algo bom. Poder realmente focar no trabalho e pensar no que posso fazer no próximo ano".

Enquanto Bottas diz que entende a atração das equipes por manter pilotos jovens alertas com a pressão de entregar performance para manter as vagas, ele diz que após um tempo isso pode acabar sendo negativo.

"Todo mundo tem um modo individual para lidar com a pressão, o tipo de pressão e o tamanho da pressão. Mas, para mim, cinco anos nessa situação, sem poder pensar além de seis meses, não funciona".

"É definitivamente mais fácil no começo, mesmo que essas discussões seja iguais todos os anos, o que acaba sendo uma distração".

"Não esqueçam que eu tive algo similar na Williams: era sempre um ano com opção de mais um. Então são basicamente nove anos de não poder pensar a longo prazo".

Quando questionado sobre uma frase comum de Toto Wolff de que a pressão forma diamantes, Bottas disse: "Acho que eu disse para ele que sim, por um certo período de tempo é bom. Pode ser bom. Mas nove anos?".

F1 2021: Hamilton PUNIDO, Verstappen REJEITA dicas de PIQUET e ATRASOS em SP | DIRETO DO PADDOCK

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #145 - TELEMETRIA: Rico Penteado analisa fim de semana em Interlagos

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Mercedes explica decisão que fará Hamilton perder posições no grid para o GP de São Paulo
Artigo anterior

F1: Mercedes explica decisão que fará Hamilton perder posições no grid para o GP de São Paulo

Próximo artigo

F1: Rubinho comenta sobre participação na cobertura do GP de São Paulo na Band

F1: Rubinho comenta sobre participação na cobertura do GP de São Paulo na Band
Carregar comentários