Pedrosa sofre por estar desmotivado, diz Márquez

As dificuldades de Dani Pedrosa na MotoGP são consequência de falta de motivação, o que torna “impossível” ser rápido com a Honda, acredita Marc Márquez.

Pedrosa sofre por estar desmotivado, diz Márquez
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Scott Redding, Aprilia Racing Team Gresini, Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Carregar reprodutor de áudio

Pedrosa, que será substituído por Jorge Lorenzo na equipe oficial da Honda para 2019, teve uma prova miserável na Holanda no último fim de semana, se classificando em 18º e salvando um único ponto ao fechar em 15º.

Isso representa mais um resultado ruim em sequência para o espanhol, que caiu para 12º na tabela, com apenas 12 pontos nas últimas três corridas.

“Dani está passando por uma situação difícil”, disse Márquez. “Assen é uma das pistas em que ele sofre majoritariamente devido à sua condição física.”

“Mas, com nossa moto, se você não está motivado, é impossível ser rápido. Nossa moto balança muito e você precisa guiá-la com bravura.”

“Um fim de semana muito difícil.”

Espera-se que Pedrosa permaneça na MotoGP no ano passado como parte de uma nova equipe satélite da Yamaha, de posse de Sepang e apoiada pela Petronas, mesmo que um anúncio oficial ainda tenha de ser feito.

Em Barcelona, Pedrosa admitiu que a incerteza sobre seu futuro afetou sua performance, e ele reiterou esse sentimento após as dificuldades de sábado em Assen.

“Foi um fim de semana muito difícil”, disse Pedrosa. “Ele não começou bm na corrida e não progredimos no começo. Perdi algumas posições, então foi difícil manter o ritmo.”

“Mais ou menos tive a mesma sensação que nos treinos e, aos poucos na corrida, com o decorrer das voltas, comecei a ficar mais e mais rápido, mais confortável, e aí melhorei meus tempos de volta.”

“Meu problema foi que alcancei um grupo e estava perdendo muito na última chicane, então foi difícil fazer uma ultrapassagem limpa. Então, fiquei preso atrás desse grupo e novamente comecei a virar mais lento.”

“Aí depois eu passei reto na curva 1 para evitar bater e perdi dois ou três segundos deste grupo em uma volta. Por duas voltas, forcei e novamente andei em um bom ritmo.”

“A parte positiva no fim foi que eu estava virando forte, tirando o começo ou com novos pneus. Então, preciso trabalhar para ser melhor com pneus novos para que eu possa me classificar mais forte.”

compartilhar
comentários
Rossi: Ultrapassagem de Dovizioso não foi muito inteligente
Artigo anterior

Rossi: Ultrapassagem de Dovizioso não foi muito inteligente

Próximo artigo

Grid girls holandesas esquentam bastidores da MotoGP

Grid girls holandesas esquentam bastidores da MotoGP